Lockdown em Pernambuco

Retenções no trânsito. Ônibus e metrô lotados no Grande Recife por causa do rodízio de veículos. Pode esperar

Sem experiência com a restrição, a população deverá correr para o transporte público, que ainda não oficializou o reforço da oferta de serviço. Aglomerações, já comuns nos horários de pico, devem aumentar quando o lockdown tiver início

Roberta Soares
Roberta Soares
Publicado em 14/05/2020 às 16:30
Notícia
ARNALDO CARVALHO/JC IMAGEM
O rodízio de veículos que foi adotado pela primeira vez na história do Recife e de quatro municípios da Região Metropolitana do Recife deve gerar maior demanda no transporte público - FOTO: ARNALDO CARVALHO/JC IMAGEM
Leitura:

O rodízio de veículos que será adotado pela primeira vez na história do Recife e de quatro municípios da Região Metropolitana do Recife entre os dias 16/5 e 31/5 vai ter desdobramentos impactantes nas cidades. Pode esperar. Os bloqueios que serão montados para fiscalizar o lockdown devido ao coronavírus vão gerar retenções no trânsito - talvez até congestionamentos mesmo. E o efeito virá em cadeia. A população que não está isenta do rodízio e precisa sair vai recorrer ao transporte público - metrô e, principalmente, ônibus -, que registrará um aumento de demanda mesmo com a frota reduzida.

E, pelo menos até agora, o governo de Pernambuco não informou qual o reforço que será dado na oferta de ônibus a partir do dia 16/5 (sábado), quando começa o lockdown. O Sistema de Transporte Público de Passageiros da RMR (STPP/RMR) está operando desde o início da pandemia do coronavírus com 53% da frota de ônibus e realizando menos da metade das viagens diárias. Há uma determinação para os passageiros só serem transportados sentados e quase 200 multas a empresas já foram aplicadas em abril. Mas na prática, durante os horários de pico da manhã e da noite, os veículos seguem circulando cheios e sendo reduto livre e ideal da propagação do coronavírus.

ARTE SJCC
Veja como funcionará o rodízio de carros no Grande Recife - ARTE SJCC

O Estado tem dado uma resposta muito genérica e que não convence o passageiro que está na fila à espera do ônibus. “Com a implantação do rodízio, o Consórcio está avaliando a evolução da demanda de passageiros desde o dia 12/5, quando começou o período educativo. De antemão, a partir da próxima segunda-feira (18/5), disponibilizará ônibus extras em alguns terminais integrados existentes nas cidades onde o isolamento social mais severo foi adotado. Estes veículos serão colocados em operação de acordo com o aumento da demanda de passageiros”, explica a nota oficial do Grande Recife Consórcio de Transportes Metropolitano (CTM). A quantidade precisa de ônibus a mais, como é visto, não é informada. E o setor operacional (empresas de ônibus) argumentam que as definições são com o Estado - gestor do sistema. Até porque a demanda de usuários segue com uma redução de 69% - já foi de 75%.

TIÃO SIQUEIRA/JC IMAGEM
Os ônibus serão abordados pela PM no bloqueios montados nos corredores das cidades para fiscalizar o cumprimento do uso das máscaras. Em SP, demanda de passageiros aumentou 6% - TIÃO SIQUEIRA/JC IMAGEM

A superintendência da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) no Recife segue na mesma linha. Já informou que o esquema de operação do Metrô do Recife não será alterado devido ao endurecimento das medidas de isolamento social. Continuará apenas nos horários de pico da manhã (6h às 9h) e da noite (16h30 às 20h), como tem sido desde o dia 21 de março. Alega que está com apenas 25% da demanda de passageiros e que tem mais de 50% dos funcionários da operação e manutenção afastados por pertencerem ao grupo de risco para a covid-19. Por isso não é possível ampliar os horários de funcionamento.

kmelo
Fiscalização das Máscaras - kmelo

Ou seja, o passageiro do transporte público é quem deverá pagar a conta. E a previsão é embasada no que aconteceu em São Paulo, por exemplo, que ampliou o rodízio de veículos devido à pandemia e registrou uma corrida da população para os ônibus, metrôs e trens. Oficialmente, segundo a Prefeitura de São Paulo, houve um aumento de 6% na demanda de passageiros. Para que o índice de isolamento social, que era de 46% na sexta-feira (8/5), passasse para 49% - dois pontos percentuais acima da média do Estado de São Paulo. O impacto, inclusive, criou atrito político entre as gestões da capital paulista - que determinou a ampliação do rodízio - e a estadual, que controla o Metrô de São Paulo e os trens da CPTM - dois monstros que transportam, por dia, 8 milhões de passageiros. E olhe que paulistas e paulistanos têm experiência de 24 anos com esse modelo de restrição veicular na cidade.


IMPACTO NO TRÂNSITO

Nem o Recife nem as cidades que irão adotar o rodízio de veículos na Região Metropolitana (Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e São Lourenço da Mata) têm experiência com esse tipo de controle de circulação de veículos. Serão ativados 34 pontos de fiscalização, sendo 16 em Recife, 8 em Olinda, 8 em Jaboatão dos Guararapes, 1 em Camaragibe e 1 em São Lourenço da Mata. Os bloqueios serão realizados pelas forças de segurança do Estado (Secretaria de Defesa Social) em parcerias com os órgãos de trânsito municipais. E os locais escolhidos não serão divulgados. Conclusão: os motoristas serão pegos de surpresa, em qualquer via e em qualquer horário.

FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Serão ativados 34 pontos de fiscalização, sendo 16 em Recife, oito em Olinda, oito em Jaboatão dos Guararapes, um em Camaragibe e um em São Lourenço da Mata. - FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM

Além disso, pelo que a SDS explicou, a maioria dos veículos deve ser abordada - principalmente aqueles que, a partir da numeração final da placa (par ou ímpar), estejam circulando indevidamente. Nesse momento será questionada a razão de o condutor e os ocupantes estarem na rua, declarações de circulação e documentos terão que ser apresentados e muita explicação terá que ser dada. Enquanto isso, a retenção estará se formando no tráfego. Situações como essa já estão acontecendo na fase educativa, que segue até a sexta-feira (15/5), um dia antes de o lockdown passar a valer. E, se houver necessidade de apreensão de veículo, as retenções poderão ser ainda maiores.

CONFIRA AQUI O DECRETO DO LOCKDOWN EM PERNAMBUCO

CONFIRA AQUI O MODELO DA DECLARAÇÃO QUE PERMITE A LIVRE CIRCULAÇÃO DURANTE O RODÍZIO

URBANA-PE/DIVULGAÇÃO
Ônibus da Empresa São Judas Tadeu que operam as linhas muncipais do Cabo de Santo Agostinho estão circulando com mensagens que alertam sobre o uso das máscaras - URBANA-PE/DIVULGAÇÃO
 

Além dos veículos caracterizados utilizados para serviços essenciais, alguns trabalhadores terão direito à trafegar em seus veículos durante o rodízio, mas para isso terão que apresentar uma declaração dada pela empresa ou instituição onde trabalhar para comprovar vínculo e essencialidade do serviço oferecido. A verificação de tudo isso nos bloqueios levará tempo. Isso é certo.

ARNALDO CARVALHO/JC IMAGEM
Veículos vão ser parados e motoristas terão que apresentar declarações e justificativas para estarem nas ruas. Processo deverá demorar e gerar retenções - ARNALDO CARVALHO/JC IMAGEM

LEIA MAIS CONTEÚDO NA COLUNA MOBILIDADE www.jc.com.br/mobilidade

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias