CICLOMOBILIDADE

Bike PE expande, fica mais caro e perde gratuidade total para estudantes

O sistema está com novidades. Algumas boas, como a tão esperada expansão do serviço no início de 2021, e outras ruins para o usuário, como o aumento de quase 50% no valor dos passes mensal e anual, e o fim da gratuidade total para os estudantes

Roberta Soares
Roberta Soares
Publicado em 28/08/2020 às 8:04
Notícia

YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
O Bike PE ganhará dez novas estações e cem bicicletas no primeiro trimestre do próximo ano - FOTO: YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
Leitura:

Um novo Bike PE já está nas ruas. O sistema de compartilhamento de bicicletas públicas operado pela Tembici com patrocínio do Itaú Unibanco, passou por alterações operacionais e está com novidades. Algumas boas, como a tão esperada expansão do serviço no início de 2021, e outras ruins para o usuário, como o aumento de quase 50% no valor dos passes mensal e anual, e o fim da gratuidade total para todos os estudantes. Os novos preços estão em vigor desde o dia 10 de agosto.


O Bike PE ganhará dez novas estações e cem bicicletas no primeiro trimestre do próximo ano. Os novos equipamentos serão instalados nas Zonas Norte e Oeste do Recife, cidade que conta com 68 das 80 estações. As 12 restantes ficam em Jaboatão dos Guararapes (cinco) e Olinda (sete), que por enquanto não serão beneficiadas com a ampliação. A localização precisa das novas unidades ainda está sendo discutida com os órgãos municipais, por isso, a Tembici não quis divulgar os pontos. Mas a gerência de Ciclomobilidade do Estado, ligada à Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Seduh), informou que Casa Amarela, na Zona Norte, o corredor da Avenida Caxangá, os Terminais Integrados CDU e Caxangá, na Várzea, e o entorno do Mercado da Madalena, todos na Zona Oeste da cidade, serão algumas das áreas beneficiadas com a expansão.
YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
Os passes do Bike PE tiveram um reajuste de quase 50%. O mensal agora custa R$ 29,90 (era R$ 20) e o anual subiu para R$ 239,90 (custava R$ 160) - YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM

“A expansão foi um dos requisitos principais do novo contrato. Era condicionante, critério de desempate no chamamento. Entendemos que o sistema precisa crescer na cidade e agora isso acontecerá. Pode não ser a ampliação ideal, mas é o começo. Temos muita demanda reprimida porque o nosso sistema, diferentemente de outras praças, é utilizado como transporte. Agora estamos na fase de definição das áreas que receberão as novas estações. A Zona Norte será a região que mais contará com os futuros equipamentos. O bairro de Casa Amarela, por exemplo, é uma demanda antiga”, afirma Karla Leite, gerente de Ciclomobilidade de Pernambuco e coordenadora do Escritório da Bicicleta, instância colegiada que valida todas as decisões relacionadas à ciclomobilidade e ao Bike PE. Conta com a participação dos municípios e dos cicloativistas.

Será a primeira expansão do sistema desde que ele entrou em operação, em 2014, tendo a pernambucana Serttel como parceira do Itaú. Desde então, vinha com as mesmas 80 estações. Quando a operação passou para a Tembici, em 2017, o sistema ganhou qualidade e robustez, o número de bicicletas aumentou e a tecnologia ficou mais confiável. Mas as estações seguiram na mesma quantidade, embora tenham sido realocadas com mais lógica.
Thiago Lucas/ Artes JC
As principais mudanças - Thiago Lucas/ Artes JC

O novo contrato prevê alguns gatilhos para garantir que, dessa vez, a expansão do Bike PE não será tão lenta como foi até agora. A ampliação estará atrelada à utilização das bicicletas. As mudanças eram esperadas e fazem parte do novo contrato do sistema, que é resultado de um chamamento público realizado pelo governo do Estado - regulador do serviço - no início do ano e do qual só a Tembici participou. Nenhum outro interessado participou da disputa.

REAJUSTE
Os passes do Bike PE tiveram um reajuste de quase 50%. O mensal agora custa R$ 29,90 (era R$ 20) e o anual subiu para R$ 239,90 (custava R$ 160). O plano de três dias foi extinto e criada a viagem avulsa de 30 minutos, no valor de R$ 3,40 - R$ 0,05 a menos do que a passagem do ônibus e R$ 0,60 a menos que a do metrô do Recife. A viagem avulsa, inclusive, era uma das solicitações do Estado para estimular o uso da bike nas chamadas primeira e última milhas - geralmente trajetos iniciais ou finais da viagem, muitas vezes feitas a pé. A duração dela, atenção, é menor: apenas 30 minutos. E a multa é mais cara que o passe: R$ 3,90 a cada meia-hora adicional.

YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
Os novos equipamentos serão instalados nas Zonas Norte e Oeste do Recife - YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM

A Tembici argumentou, por email, que é o primeiro aumento após quase três anos à frente do serviço e, por isso, se fazia necessário. Disse, ainda, que o Recife foi a última das cinco praças operadas pela empresa a ter reajuste, o que poderia ter sido dado desde março, já que o novo contrato com o governo de Pernambuco foi assinado em fevereiro de 2020. Além do Recife, a empresa é parceira do Itaú em cinco praças: Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador e Porto Alegre .



REDUÇÃO DA GRATUIDADE
Outra grande mudança que deverá gerar muitas críticas dos usuários - muitos dos quais não estão informados devido à pandemia - é o fim da gratuidade total para todos os estudantes. Agora, apenas a rede pública de ensino (estadual e municipal), os alunos do Prouni e os cotistas da UPE seguirão com a gratuidade de 100%. Todo o resto, da rede privada e universitária (como a UFPE e a UFRPE, por exemplo), terá que pagar 50% dos planos mensais ou anual.

“Não tínhamos como segurar essa redução da gratuidade. Éramos o único sistema da Tembici nesse modelo. E não tínhamos como evitar o aumento. O último reajuste foi em 2016. Entendemos que foi um reajuste justo pela oferta do serviço. A Tembici oferece um sistema moderno, com tecnologia de ponta e bicicletas confiáveis. Também investiu na logística para melhorar e uniformizar o atendimento à população, garantindo a oferta de bikes na retirada e de vagas na devolução”, explica Karla Leite. "Além disso, a empresa tem um plano de negócios e atendeu às exigências do termo de referência formulado pelo Estado", reforçou a gerente.

REPERCUSSÃO
Quem usa o sistema, como esperado, foi pego de surpresa pelo aumento e não aprovou. Mas algumas pessoas ouvidas pela reportagem afirmam que vão dar um jeito de se adequar financeiramente para continuar cliente do Bike PE. Como explicam, as bicicletas já se tornaram essenciais no deslocamento diário e na integração com o transporte público.

YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
O plano de três dias foi extinto e criada a viagem avulsa de 30 minutos, no valor de R$ 3,40. Bikes também passaram a ser liberadas por QRcode - YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM

“Sempre usei o Bike PE para complementar o transporte público. Ganho tempo. Muito tempo. Quando saio do meu trabalho uso a bicicleta para chegar num ponto mais adiante até pegar o ônibus. Fujo dos congestionamentos. Chego a economizar 30 minutos da viagem. Por isso não sou favorável à redução da gratuidade para os estudantes da rede pública e também da privada. Até porque ser da rede privada não significa que possam pagar. Usamos o Bike PE para economizar no ônibus. Agora, teremos que fazer a escolha porque é um novo custo. Mesmo pagando só metade. Muita gente vai ser excluída. Espero que a empresa faça promoções para atrair os estudantes”, diz Diego Costa, 32 anos, aluno da UFRPE.

RENOVAÇÃO DOS PLANOS ESTUDANTIS

Os planos gratuitos VEM Estudante do Bike PE já estavam suspensos desde o início da pandemia, ainda em março. Segundo a Tembici, por determinação do governo de Pernambuco. E, com as novas regras, os planos estudantis (sejam os de 50% de gratuidade ou os integrais) terão que ser adquiridos presencialmente para a devida comprovação do vínculo estudantil. Mas por enquanto a central da Tembici segue fechada para atendimentos presenciais.

Confira o comunicado oficial da empresa:

"Por determinação do governo do Estado de Pernambuco todos os planos gratuitos VEM Estudante do Bike PE foram cancelados como forma de contribuir com as medidas para evitar a rápida proliferação do Coronavírus.O cancelamento passa a vigorar a partir do dia 25/03 e os usuários elegíveis a este benefício poderão reativar os planos Vem Estudante mediante normalização do cenário da pandemia, mediante orientações da Tembici e do governo do Estado.

O Bike PE, sistema de bicicletas compartilhadas operado pela Tembici com o patrocínio do Itaú Unibanco, está oferecendo uma opção especial para todos os usuários do sistema durante o período de pandemia: Plano Viagem Avulsa pelo valor de R$ 0,90".

YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
O plano de três dias foi extinto e criada a viagem avulsa de 30 minutos, no valor de R$ 3,40. Bikes também passaram a ser liberadas por QRcode - FOTO:YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
Os passes do Bike PE tiveram um reajuste de quase 50%. O mensal agora custa R$ 29,90 (era R$ 20) e o anual subiu para R$ 239,90 (custava R$ 160) - FOTO:YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
Equipamentos serão instalados nas Zonas Norte e Oeste do Recife, no 1º trimestre de 2021 - FOTO:YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
Thiago Lucas/ Artes JC
As principais mudanças - FOTO:Thiago Lucas/ Artes JC

Seja um assinante JC.

Assine o JC com planos a partir de R$ 1,90 e tenha acesso ilimitado a todo o conteúdo do jc.com.br, à edição digital do JC Impresso e ao JC Clube, nosso clube de vantagens e descontos que conta com dezenas de parceiros.

Assine o JC

Comentários

Últimas notícias