TRANSPORTE PÚBLICO

Fim da dupla função de motoristas e volta dos cobradores passam a valer nos ônibus do Recife nesta quarta (9)

Os rodoviários já avisaram que estarão nas garagens para fiscalizar o cumprimento das novas regras e que a categoria não permitirá que os ônibus saiam sem cobradores, forçando os motoristas a receber as passagens pagas em dinheiro e passar troco

Roberta Soares
Roberta Soares
Publicado em 08/12/2020 às 20:00
Notícia
JC Imagem
Esta quarta-feira (9/12) será um dia decisivo para motoristas, cobradores e passageiros de ônibus da Região Metropolitana do Recife. É a partir dessa data que o governo de Pernambuco promete fazer valer o fim da dupla função de motoristas e o retorno dos cobradores aos coletivos que operam linhas que circulam no limite da capital - FOTO: JC Imagem
Leitura:

atualizada na quarta-feira (09), às 7h10

Esta quarta-feira (9/12) será um dia decisivo para motoristas, cobradores e passageiros de ônibus da Região Metropolitana do Recife. É a partir dessa data que o governo de Pernambuco promete fazer valer o fim da dupla função de motoristas e o retorno dos cobradores aos coletivos que operam linhas que circulam no limite da capital. No início da manhã, o Sindicato dos Rodoviários esteve nas garagens para fiscalizar o cumprimento das novas regras e que a categoria não permitiu que os ônibus saíssem sem cobradores, forçando os motoristas a receber as passagens pagas em dinheiro e passar troco. Ação aconteceu nas garagens da Caxangá, em Olinda, Metropolitana e Transcol, no Recife.

Inicialmente, o fim da dupla função e a volta dos cobradores deveriam estar sendo cobradas desde o dia 3 de dezembro, como ficou acordado entre empresários de ônibus, rodoviários e o governo de Pernambuco, gestor do sistema de transporte da RMR, diante do Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT). O acordo evitou uma greve da categoria aprovada para o dia 24/11, na semana que antecederia o segundo turno das eleições municipais. Mas dias depois o setor empresarial questionou a aplicabilidade e a legalidade da Lei Municipal 18.761/2020, que proíbe a dupla função pelos motoristas de ônibus no Recife, e da Portaria 167/2020 do Grande Recife Consórcio de Transporte Metropolitano (CTM), que garantia o cumprimento metropolitano da lei e a volta dos cobradores a todos os coletivos da RMR. Assim, o Estado prorrogou o prazo até o dia 8 e limitou as regras às linhas que circulam na capital.

NE10
O Sindicato dos Rodoviários já avisou que estará nas garagens para fiscalizar o cumprimento das novas regras e que a categoria não permitirá que os ônibus saiam sem cobradores - NE10

Os rodoviários, no entanto, dizem que dessa vez não aceitarão mais adiamentos. Além de garantirem que haverá reação da categoria se as mudanças não forem adotadas a partir da quarta (9), já estão com um assembleia marcada para o dia 15/12, na qual um movimento grevista poderá ser aprovado novamente. “Não aceitaremos que os ônibus saiam sem cobradores. Estaremos nas garagens fazendo uma fiscalização pesada. Cumprimos nossa parte no acordo e suspendemos a greve. A categoria está muito revoltada com a situação e o adiamento. Chegou a hora de saber quem manda no transporte público da RMR. Se é o governador Paulo Câmara e o Consórcio Grande Recife, órgão gestor do sistema, ou se são os empresários do transporte. Dizemos isso porque todos sabem: há uma lei que proíbe a dupla função e há uma portaria que obriga as empresas a recolocarem todos os cobradores de volta e as empresas não estão cumprindo”, atacou Aldo Lima, presidente dos rodoviários.

Artes JC
A realidade dos cobradores e da dupla função na RMR - Artes JC

“No dia 9, os ônibus que estiverem saindo das garagens sem cobradores serão impedidos. Os motoristas não serão mais obrigados a receber dinheiro. Caso os empresários não cumpram a lei e a portaria nos vamos mostrar quem é que manda porque a categoria está mobilizada para a luta”, acrescentou o sindicalista. A nova assembleia da categoria marcada para o dia 15/12 acontecerá em dois turnos: pela manhã, com primeira chamada às 9h e segunda às 10h, e à tarde, às 15h e às 16h.

JAILTON JR./JC IMAGEM
Na semana passada a Urbana-PE argumentou que a portaria é inexequível devido ao curtíssimo intervalo de tempo para reestruturação da operação, já que 67% das linhas do sistema da RMR operam sem cobradores - JAILTON JR./JC IMAGEM

FISCALIZAÇÃO
Pelo menos na teoria, a nova lei que proíbe a dupla função de motoristas e a portaria que determina a volta dos cobradores atingiria, inicialmente, 40% das linhas em operação no Sistema de Transporte Público de Passageiros da RMR (STPP). Esse percentual representa as linhas que circulam apenas no Recife: 161 das 399 existentes antes da pandemia. As empresas que deverão ser fiscalizadas neste primeiro momento são Borborema, Globo, Vera Cruz, Caxangá, Metropolitana, Consórcio Recife (Pedrosa e Transcol) e MobiBrasil.

Segundo informações da assessoria de imprensa do CTM, somente numa segunda fase, após estudos técnicos para analisar o impacto do retorno dos cobradores, é que as mudanças poderão ser ampliadas para as linhas metropolitanas. Na semana passada a Urbana-PE argumentou que a portaria é inexequível devido ao curtíssimo intervalo de tempo para reestruturação da operação, já que 67% das linhas do sistema da RMR operam sem cobradores "há consideravel tempo". Isso representaria 1.616 ônibus da frota total, atualmente de 3.600 veículos.

JAILTON JR./JC IMAGEM
1.616 ônibus da frota total, atualmente de 3.600 veículos, opera sem cobrador, após liberação do governo de Pernambuco durante a pandemia - JAILTON JR./JC IMAGEM

 

Comentários

Últimas notícias