REAJUSTE DA TARIFA

Empresários propõem aumento de 16% nas passagens de ônibus do Grande Recife. Anel A iria para R$ 4

Percentual, no entanto, não deverá ser aprovado pelo governo de Pernambuco, que discute um aumento pela inflação (4%) e congelamento da tarifa nos horários fora-pico para os usuários do VEM Comum

Roberta Soares
Roberta Soares
Publicado em 19/01/2021 às 16:27
Notícia
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Os números foram baixos desde o começo:Até agora, 8.397 solicitações. Dessas, 4.858 foram aprovadas e 3.539 negadas - FOTO: BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Leitura:

No que depender dos empresários, as passagens de ônibus da Região Metropolitana do Recife poderão subir 16%. Essa é a proposta que os operadores, através do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE), estão defendendo para o realinhamento em 2021. Caso esse percentual venha a ser aprovado, o Anel A (utilizado por mais de 80% do sistema) sairia de R$ 3,45 para R$ 4.

O Anel B passaria R$ 4,70 para R$ 5,45 e, o Anel G, de R$ 2,25 para R$ 2,60. De cara, entretanto, é importante destacar ser pouco provável que esse reajuste agrade o governo de Pernambuco e, consequentemente, seja aprovado pelo Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM), colegiado que aprova ou não o aumento, mas que historicamente segue a decisão do governo estadual.

Mesmo assim, o setor empresarial costuma apresentar índices mais altos do que o Estado espera, calculados a partir das perdas que o sistema acumula - queda de demanda de passageiros e aumento dos insumos, como folha de pagamento e combustível, principalmente. Em 2020, pediu 14,13% e não teve nada. Em 2019, propôs 16,18% (o mesmo de agora, em 2021), mas o percentual aprovado foi de 7,07%.

ARTES JC
cOLUNA mOBILIDADE - ARTES JC

Fernando Bandeira, presidente da Urbana-PE, explica os argumentos para a defesa dos 16%. “Estamos há dois anos sem realinhamento. Não tivemos em 2018 nem em 2020. Tivemos um ano muito difícil, de muita perda de receita. Em março e abril, ficamos com apenas 25% da demanda de passageiros. E atualmente seguimos com uma média de 60%”, argumenta. Vale lembrar que os anos de 2018 e 2020 foram, exatamente, anos de eleição, com o PSB disputando a reeleição no governo do Estado e a Prefeitura do Recife.

A proposta já está nas mãos do secretário de Desenvolvimento Urbano de Pernambuco, Marcelo Bruto, que preside o CSTM e quem tem a missão de convocar a reunião do para votar o reajuste. “Todo mês de janeiro é, historicamente, o mês em que o realinhamento tarifário é discutido. E, como representantes do conselho, estamos propondo essa discussão”, explicou Fernando Bandeira.

Os empresários defendem que, caso seja dado apenas a inflação, ela seja de dezembro de 2018 a dezembro de 2020, o que daria 9% de reajuste. Isso porque o realinhamento de 2019 levou em consideração dezembro de 2018.

YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Em 2020, o setor pediu 14,13% e não teve nada. Em 2019, propôs 16,18% (o mesmo de agora, em 2021), mas o percentual aprovado foi de 7,07% - YACY RIBEIRO/JC IMAGEM

Confira a nota da Urbana-PE na íntegra:
“A Urbana-PE informa que solicitou à Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação de Pernambuco (Seduh-PE) uma convocação para reunião do Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM) e a inclusão do realinhamento tarifário na pauta de discussões.

O setor é sensível às dificuldades impostas pela pandemia à economia e à população, sendo, inclusive, um dos segmentos mais impactados pela atual crise sanitária, uma vez que o modelo de custeio adotado depende, quase que exclusivamente, da quantidade de passageiros transportados e da arrecadação tarifária.

Ao longo de 2020, a demanda pelo serviço caiu até 75% e, atualmente, ainda está 40% abaixo do patamar anterior à pandemia. O cenário é ainda agravado pela ausência de reajustes na tarifa desde 2019, o que a caracteriza como a mais barata entre as capitais brasileiras hoje.

No contexto atual e sem a perspectiva de adoção de fontes extratarifárias para financiamento do transporte coletivo, a necessidade do realinhamento tarifário ganha outra dimensão, tornando-se vital à continuidade da prestação de um serviço essencial à sociedade.

Dessa forma, a Urbana-PE apresentará ao Conselho Superior de Transporte Metropolitano uma proposta de realinhamento tarifário na ordem de 16%, o que equivale à adoção das seguintes tarifas:

Anel A - R$ 4,00
Anel B - R$ 5,45
Anel G - R$ 2,60”

REAJUSTE CAPITAIS 2021
Segundo levantamento da Seduh-PE, Recife tem a menor tarifa do Brasil, 13 capitais reajustaram os valores em 2020 e 3 já anunciaram revisão de valores em 2021 - REAJUSTE CAPITAIS 2021

 

Governo de Pernambuco estuda passagem mais barata nos horários fora do pico nos ônibus do Grande Recife

O transporte público por ônibus da Região Metropolitana do Recife poderá ter uma tarifa diferenciada nos horários fora do pico do sistema. Seria um modelo semelhante ao adotado recentemente em Curitiba (PR) e em Fortaleza (CE), chamado Tarifa e Hora Social, respectivamente. A diferença é que, no caso de Pernambuco, a tarifa não seria reduzida, mas deixaria de ser reajustada nesses horários. O benefício também seria restrito aos usuários do cartão VEM Comum, ou seja, 40 % dos usuários.

O restante das tarifas seria reajustado pela inflação - o IPCA está acumulado na casa dos 4%. O modelo está em estudo pelo governo de Pernambuco para ser apresentado na discussão sobre o aumento das passagens de ônibus em 2021 e que sempre é decidido nos meses de janeiro. A tarifa diferenciada valeria no horário das 9h às 11h e das 14h às 16h, provavelmente de segunda à sexta. A lógica do Estado, segundo fontes do governo, é penalizar menos os que não têm acesso ao VEM Trabalhador - ou seja, ao benefício do vale-transporte -, que são, em sua maioria, profissionais autônomos. E, ao mesmo tempo, estimular a parcela da população que pode, a evitar os horários de pico, quando a lotação do transporte público é certa.

O problema da superlotação nos ônibus nos horários de pico é hoje, em plena pandemia de covid-19, um dos principais pontos de desgaste político para a gestão do PSB. Mostrado diariamente pela mídia e sempre usado como comparativo às punições por aglomerações impostas à sociedade de forma geral. Por isso o governo do Estado está tão preocupado em minimizá-lo.

Comentários

Últimas notícias