OPINIÃO

Na chegada do novo titular ao Ministério da Saúde, um lavador de carro perguntou se estavam distribuindo a vacina

"Para o lavador de carro a vacina era a prioridade enquanto nós da imprensa nos acotovelávamos em busca de uma informação. Qualquer que fosse", leia a opinião de Romoaldo de Souza

Romoaldo de Souza
Romoaldo de Souza
Publicado em 17/03/2021 às 6:29
Artigo
REPRODUÇÃO
Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e novo titular da Saúde, Marcelo Queiroga - FOTO: REPRODUÇÃO
Leitura:

O filósofo Agostinho de Hipona (354 — 430), mundialmente conhecido como Santo Agostinho, escreveu no seu tratado chamado de “Confissões” que “a esperança tem duas filhas lindas, a indignação e a coragem. A indignação nos ensina a não aceitar as coisas como estão. Já a coragem nos impulsiona a mudá-las”.

Faz sentido analisar que Agostinho tinha em mente o pecado, a culpa e a responsabilidade, e que nos dias atuais seria propício falarmos numa palavra que está bem em voga: empatia. “como posso me empenhar em ser empático em uma comunidade maior? Fazer parte de um movimento. Entender a perspectiva dos outros e lutar pelos direitos de quem a humanidade foi marginalizada”, como nos ensina o filósofo australiano Roman Krznaric (1970).

E por que eu fui do Norte da África, no início da era cristã, aos dias atuais, nas arborizadas ruas de Londres, na Inglaterra? A fim de dizer que para tudo há uma conexão, um fato que nos une, um acontecimento que agrega. Mas o que se vê são argumentos cada vez mais antagônicos. Aos poucos vamos nos dando conta que estamos sendo empurrados para a dualidade: nós e eles. E ai que quem não estiver do nosso lado. Comungando dos mesmos objetivos nossos.

No burburinho que formou ontem na porta do Ministério da Saúde, com a chegada do novo titular, ainda houve tempo de um lavador de carro perguntar se estavam distribuindo a vacina da “coronga”, enquanto se esmerava em deixar lustrosos os veículos dos servidores na Esplanada dos Ministérios. Para o lavador de carro a vacina era a prioridade enquanto nós da imprensa nos acotovelávamos em busca de uma informação. Qualquer que fosse.

Pense nisso!

Comentários

Últimas notícias