OPINIÃO

Decisão final sobre MP que prorroga direito de reembolso de passagens aéreas está nas mãos de Bolsonaro

Deputados e senadores acordaram que passageiros que tiveram o voo cancelado por causa pandemia terão prazo até 31 de dezembro deste ano, para pedir de volta o dinheiro pago à companhia aérea, descontada a inflação no período

Romoaldo de Souza
Romoaldo de Souza
Publicado em 27/05/2021 às 6:38
Notícia
ROVENA ROSA/AGÊNCIA BRASIL
TURISMO CoronaVac pode facilitar acesso ao continente - FOTO: ROVENA ROSA/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

Sabe aquela viagem que você tinha programado tudo direitinho, fez reservas no hotel, alugou um carro, comprou passagem para viajar, mas teve de desistir do passeio com a chegada da pandemia?

Pois a sua viagem pode está mais próximo de se realizar sem prejuízo, e a decisão está nas mãos do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). É que o Congresso Nacional aprovou uma medida provisória que prorroga o direito de reembolso de passagens aéreas que não foram utilizadas durante a pandemia.

Deputados e senadores acordaram que passageiros que tiveram o voo cancelado por causa pandemia terão prazo até 31 de dezembro deste ano, para pedir de volta o dinheiro pago à companhia aérea, descontada a inflação no período. Vamos imaginar que você comprou uma passagem no valor de R$ 2.000,00. Pois a empresa de aviação terá que devolver R$ 1.900,00.

A mesma medida provisória determina, ainda que os passageiros que desistirem de viajar, poderão ter acesso a um crédito no mesmo valor pago, sem qualquer penalidade contratual.

A associação que representa as empresas aéreas fez lobby no Congresso para dividir o prejuízo com os passageiros, mas prevaleceu a vontade de deputados e senadores de agradarem o consumidor que também é eleitor.

Pense nisso!

Comentários

Últimas notícias