Impunidade

Menos de 3% dos inquéritos de roubos e furtos de veículos são concluídos em Pernambuco

No ano passado, 9.422 veículos foram roubados e outros 4.763 foram furtados no Estado. Mas o número de investigações concluídas pela polícia é bem baixo

Raphael Guerra
Raphael Guerra
Publicado em 19/02/2021 às 17:13
Notícia
OMAR K. BARBOSA/VOZ DO LEITOR
Médico teve pneus do carro furtados no estacionamento do Hospital Barão de Lucena, no Recife, em julho de 2020 - FOTO: OMAR K. BARBOSA/VOZ DO LEITOR
Leitura:

A impunidade, em Pernambuco, não é apenas uma sensação. Ela está presente e é traduzida em números. Somente no ano passado, houve 9.422 registros de roubos de veículos e mais 4.763 de furtos. A Polícia Civil, no entanto, só conseguiu concluir menos de 3% das investigações. E, em alguns casos, sequer descobriu a autoria do crime. O levantamento feito pela coluna Ronda JC tem como base dados da Secretaria de Defesa Social (SDS) disponibilizados por meio da Lei de Acesso à Informação.

Um médico de 30 anos, plantonista do Hospital Barão de Lucena, na Zona Oeste do Recife, é uma das vítimas que faz parte dessas estatísticas. Na noite do dia 23 de julho de 2020, ele deixou o carro no estacionamento da unidade de saúde. Quando concluiu o expediente e voltou ao local, cerca de 12 horas depois, percebeu que os quatro pneus foram furtados.

Quase sete meses depois, a impunidade permanece. Em nota, a assessoria da Polícia Civil confirmou que o autor do crime ainda não foi identificado. "O caso segue em investigação", disse o texto.

Dos 4.763 furtos de veículos no Estado, registrados no ano passado, apenas 78 tiveram as investigações concluídas até agora. Isso representa apenas 1,6%. Em quatro casos, a polícia encerrou o inquérito sem conseguir apontar o responsável pelo furto.

Já em relação aos 9.422 roubos, a polícia concluiu só 251 investigações - ou seja, 2,6% do total. Mas sete delas também foram encerradas sem identificar nenhum suspeito.

ARTE JC
Estatísticas de roubos e furtos de veículos em Pernambuco - ARTE JC

ANÁLISE

Para a coordenadora do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM) em Pernambuco, e professora da Unicap, Érica Babini, a baixa taxa de resolutividade dos crimes está relacionada a vários fatores. "A gente observa, por exemplo, que no ano passado houve aumento dos CVLIs (Crimes Violentos Letais Intencionais) no Estado, o que leva a crer que houve um esforço maior para combater esse crime e outros podem ter sido deixados de lado. Há, muitas vezes, a opção de se focar mais nos homicídios porque isso lida com a credibilidade da instituição e gera mais repercussão", afirma.

Érica diz também que há uma falta de investimentos para combater os crimes com mais eficácia. "Os crimes contra o patrimônio são de difícil investigação e demandam uma estrutura investigativa. A polícia não é aparelhada suficientemente. Por outro lado, o crescimento da impunidade gera a avaliação, para quem comete o crime, de que há vantagem em praticá-lo. E os assaltos acabam aumentando", conclui.

OUTRO LADO

Em nota, a SDS diz que "a Polícia Civil trabalha com o objetivo de solucionar e prevenir os roubos e furtos de veículos. Apesar da pandemia, foram realizadas investigações que culminaram com autos de prisões em flagrante. Entre outras ações, foram realizadas, em 2020, duas Operações de Repressão Qualificadas, sendo uma em Goiana, com nove investigados, e outra em Tuparetama, onde foram 11 investigados".

O texto afirma que "em constante monitoramento das manchas criminais, a Polícia Militar tem posicionado o efetivo em áreas de maior incidência, prevenindo o crime. Por isso, é fundamental o Boletim de Ocorrência. Em Pernambuco, os casos de roubo de veículos caíram 30% em janeiro de 2021, comparando com o 1º mês do ano anterior."

Confira a resposta na íntegra:

A Polícia Civil de Pernambuco, por meio da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos/DEPATRI, trabalha com o objetivo de solucionar e também de prevenir os roubos e furtos de veículos. Apesar da pandemia, foram realizadas diversas investigações que culminaram com autos de prisões em flagrante. Entre outras ações, foram realizadas, em 2020, duas Operações de Repressão Qualificadas, sendo uma no município de Goiana, com nove investigados, e outra em Tuparetama, onde foram 11 investigados. Diligências ocorreram em estados vizinhos, a exemplo de Piauí e Paraíba.

Esse trabalho em conjunto com o de outros setores da PCPE e das demais forças de segurança, além de desarticular quadrilhas, tem focado esforços na desativação de locais de desmanche (ferros-velhos), inibindo a receptação. Em constante monitoramento das manchas criminais, a Polícia Militar tem posicionado seu efetivo em áreas de maior incidência, prevenindo o crime. Por isso, é fundamental que o Boletim de Ocorrência seja prestado, de modo a orientar o planejamento operacional.

Ainda há muito trabalho a ser feito, mas números mostram redução na incidência dessa modalidade criminosa, seja nos roubos ou furtos. Em Pernambuco, os casos de roubo de veículos já caíram 30% em janeiro de 2021, comparando com o primeiro mês do ano anterior. A diferença, para baixo, foi de 333 casos. Entre 2019 e 2020, considerando os anos completos, o percentual de redução foi similar: 29%, o que significou 3.784 delitos a menos. Na mesma tendência, os furtos de veículos tiveram retração de 20% entre os janeiros de 2021 e 2020, com 99 casos a menos. Nos dois últimos anos, houve queda de 23% (-1453 ocorrências).

 

ARTE JC
Estatísticas de roubos e furtos de veículos em Pernambuco - FOTO:ARTE JC

Comentários

Últimas notícias