POLÍCIA

Por dia, 97 mulheres prestaram queixa de violência doméstica em janeiro, em Pernambuco

Ao todo, 2.990 boletins de ocorrência foram registrados no último mês, segundo dados da Secretaria de Defesa Social. Veja como pedir ajuda

Raphael Guerra
Raphael Guerra
Publicado em 21/02/2022 às 7:30
JC Imagem/Arquivo
Violência contra a mulher segue com números alarmantes em Pernambuco - FOTO: JC Imagem/Arquivo
Leitura:

Quase 3 mil queixas de violência doméstica foram registradas por mulheres nas delegacias de Pernambuco, no último mês de janeiro, segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS). No total, oficialmente, houve 2.990 boletins de ocorrência. A média diária é de 97 denúncias. 

O número total, em janeiro, é 24,44% menor do que no mesmo período de 2021, quando 3.957 vítimas prestaram queixas. Mas não há o que comemorar. Além do número permanecer muito alto, a queda pode ser um sinal de que as mulheres não estão conseguindo pedir ajuda.

Importante reforçar a dificuldade que as mulheres sentem em registrar uma queixa nas unidades policiais. Apesar de o Estado contar com 11 delegacias especializadas para atendimento à mulher, apenas uma funciona 24 horas por dia. A unidade fica no bairro de Santo Amaro, na área central do Recife. Lá, nos sete dias da semana, a vítima vai encontrar atendimento.

Já nos outros municípios onde há Delegacia da Mulher - como Paulista, Caruaru, Goiana e Vitória de Santo Antão - o horário de funcionamento é restrito. Apenas de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Nos dias de feriado, as delegacias também ficam fechadas.

A Polícia Civil argumenta que as vítimas podem procurar qualquer delegacia do Estado para denunciar a violência, se não houver uma delegacia especializada próxima. 

Em entrevista à coluna Ronda JC, no final do ano passado, a secretária estadual da Mulher, Ana Elisa Sobreira, fez um alerta para a importância da denúncia. 

"Nos primeiros indícios, as mulheres precisam registrar o boletim de ocorrência. Infelizmente, muitas esperam o mal maior para procurar ajuda. Sabemos que a maioria das vítimas dos feminicídios nunca procurou apoio do Estado. Elas precisam entender que não estão sozinhas. E que contam com centros de referência, com apoio psicológico e jurídico."

Seis casos de feminicídio foram registrados no mês passado. Quatro a menos do que em janeiro de 2021.

ARTES/JC
Números da violência - ARTES/JC

COMO PEDIR AJUDA?

O número da Ouvidoria da Secretaria da Mulher é 0800-281-8187. A ligação é gratuita. Também é possível ligar para o 180. Todas as orientações necessárias, como endereços de de delegacias e casas de acolhimento, são fornecidas. 

Em caso de urgência, a vítima também pode telefonar para o número 190, da Polícia Militar.

 

 

 

Últimas notícias