COLUNA RONDA JC

Após dois dias, não houve perícia para esclarecer incêndio em palafitas no Pina, no Recife

Local passou por limpeza durante o fim de semana, o que dificulta ainda mais trabalho da investigação

Raphael Guerra
Cadastrado por
Raphael Guerra
Publicado em 08/05/2022 às 20:14 | Atualizado em 09/05/2022 às 12:27
GUGA MATOS/JC IMAGEM
SEM VÍTIMAS Fogo se alastrou rapidamente por conta da quantidade de material de fácil combustão - FOTO: GUGA MATOS/JC IMAGEM
Leitura:

Dois dias após o incêndio que atingiu e destruiu rapidamente pelo menos 30 palafitas no Beco do Sururu, comunidade na Bacia do Pina, Zona Sul do Recife, a causa ainda não foi esclarecida. Pior: sequer foi realizada a perícia no local.

Por meio de nota, a assessoria da Polícia Civil de Pernambuco confirmou que está investigando o caso, mas alegou que mais detalhes sobre as investigações "serão repassados à imprensa em momento oportuno". Já a Secretaria de Defesa Social (SDS) não explicou por qual motivo os peritos criminais ainda não foram ao Beco do Sururu para a realização da perícia.

Com o passar dos dias fica ainda mais complicado esclarecer as causas do incêndio, visto que toda a área afetada passou por limpeza, realizada por servidores da Prefeitura do Recife. Ontem, os trabalhos foram encerrados a pedido dos próprios moradores, que querem preservar o pouco que sobrou, a exemplo das estacadas, para tentar reconstruir novas palafitas.

Poucas horas após o incêndio, na última sexta-feira, o prefeito João Campos anunciou, por meio das redes sociais, que as famílias que perderam seus lares serão indenizadas por pecúnia, no valor de R$ 1.500. O cadastro delas começou na mesma noite. Além disso, Campos também prometeu abrigo e cestas básicas.

Na manhã desta segunda-feira (09), na sede da prefeitura, uma comissão será recebida para apresentar pleitos, que serão analisados pela gestão municipal. A promessa de entrega de conjuntos habitacionais para moradores de palafitas do Pina também deve entrar em pauta.

FORÇA-TAREFA

Logo após o fogo se alastrar e a forte fumaça chamar a atenção dos recifenses, três viaturas do Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco foram deslocadas para o local e atuaram no combate ao incêndio. Em seguida, mais sete viaturas foram em apoio - sendo duas de resgate e duas de comando operacional.

Unidades do Samu também foram acionadas. Duas viaturas e duas motos seguiram para a comunidade. Felizmente, não houve registro de feridos.

 

Comentários

Últimas notícias