COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Samu Recife: covid-19 causa primeira morte entre socorristas

Técnica de enfermagem foi a óbito na segunda-feira (15), em decorrência de complicações da covid-19

Cinthya Leite
Cinthya Leite
Publicado em 16/02/2021 às 12:33
Notícia

ANDRÉA RÊGO BARROS/PCR
Samu Recife conta com ambulâncias que funcionam como unidades de suporte básico e UTIs móveis - FOTO: ANDRÉA RÊGO BARROS/PCR
Leitura:

A técnica de enfermagem Liliane Quitéria dos Santos, de 48 anos, é a primeira vítima fatal do novo coronavírus entre os socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do Recife. Ela foi a óbito na manhã da segunda-feira (15), no Hospital do Tricentenário, em Olinda. Ela lutava contra as sequelas deixadas pela covid-19 há cerca de nove meses. Em maio de 2020, momento em que a capital pernambucana vivenciada o pico da pandemia, Liliane apresentou os primeiros sintomas da doença, iniciada com um quadro de encefalite viral, a chamada infecção direta do cérebro causada pelo vírus.

"Naquela ocasião, ela procurou o Hospital Correia Picanço (bairro da Tamarineira, Zona Norte do Recife). Logo em seguida, desenvolveu um AVC (acidente vascular cerebral) hemorrágico e foi para o Hospital da Restauração (área central da cidade), onde operou e drenou o hematoma. Depois foi para o Alfa (referência no tratamento da covid-19) e recentemente, já com PCR para coronavírus negativo há cerca de seis meses, foi encaminhada para o Tricentenário, onde a família teve a possibilidade de ficar mais próxima dela. Estamos todos em luto", informa o médico Leonardo Gomes, coordenador-geral do Samu Metropolitano do Recife.

Ele conta que Liliane estava há muito tempo no Samu e que era uma profissional que atuou durante os primeiros meses do combate à pandemia no Recife. "Foi ao lado dela que fiz o meu primeiro plantão no Samu. Era uma pessoa muito dedicada. O adoecimento e a morte dela mexeram muito com todos do Samu. Sabemos que estamos expostos (ao coronavírus), que podemos pegar a doença, mas ninguém havia tido um desfecho negativo e fatal, como ocorreu com Liliane, quase um ano depois do primeiro atendimento (de covid-19) feito na capital." 

Durante o velório de Liliane ontem, de acordo com Leonardo, muitas foram as lembranças sobre Liliane. "O pastor também relatou como nós, profissionais do Samu, estamos doando as nossas vidas por todos." Em seu perfil pessoal, no Instagram, Leonardo expressou os sentimentos pela perda da técnica de enfermagem para a covid-19. "Nós arriscamos nossas vidas para salvar a sua. Pensem nisso", escreveu o coordenador-geral do Samu Metropolitano do Recife.

Desde o início da pandemia na capital pernambucana, em março do ano passado, cerca de 500 trabalhadores do Samu foram infectados pelo novo coronavírus e precisaram se afastar do front durante o período de recuperação. "Hoje somos 718 profissionais. Amanhã (quarta-feira, 17) concluiremos a imunização contra covid-19 de toda a linha de frente do Samu Recife. Devemos atingir 600 pessoas vacinadas com a segunda dose. São socorristas, lavadores e condutores de ambulância, além de outros profissionais do front", diz Leonardo.

 

Comentários

Últimas notícias