COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Após quase um ano de covid-19 em Pernambuco, secretário diz que próximos 90 dias ainda serão difíceis

Com recrudescimento da pandemia no Estado, secretário solicita apoio da sociedade para ultrapassar os próximos meses

Cinthya Leite
Cinthya Leite
Publicado em 25/02/2021 às 19:55
Notícia

AMÉRICO SANTOS/SEI
"Observamos, ao longo da última semana, maior pressão sobre a rede de saúde, chegando, em alguns momento do dia, à marca de 90% de ocupação", disse André Longo - FOTO: AMÉRICO SANTOS/SEI
Leitura:

Nesta quinta-feira (25), Pernambuco completa um ano da primeira notificação de caso suspeito da covid-19. Já as primeiras confirmações foram de um casal de idosos, anunciadas no dia 12 de março. Durante coletiva de imprensa hoje, o secretário Estadual de Saúde, André Longo, informou que "não é momento de fazer avaliação (deste período); estamos em pleno curso da pandemia, estamos em constante movimento do ponto de vista de adoção de medidas (restritivas)". Ao ressaltar que o mundo vive a maior crise sanitária do século, Longo destacou que Pernambuco buscou dar uma resposta à altura, "com a maior mobilização de equipamentos, insumos e recursos humanos". 

Apesar dessa mobilização, o secretário destacou que gostaria de "estar fazendo um balanço final da pandemia, mas ela ainda não acabou". A contar do início da pandemia, Pernambuco totaliza 295.681 casos confirmados da doença, sendo 32.315 graves e 263.366 leves, que estão distribuídos por todos os 184 municípios pernambucanos e pelo arquipélago de Fernando de Noronha. Além disso, o Estado acumula 10.926 mortes pela covid-19.

"Ainda temos muito trabalho, precisamos contar com o apoio decisivo da sociedade pernambucana para ultrapassar este momento novo de dificuldade e esperar a ação da vacina. É preciso que toda a população entenda que esses próximos 90 dias serão difíceis e que nós vamos precisar estarmos juntos novamente nesta adversidade. Acreditamos que a vacina vai fazer a diferença. Estaremos trabalhando para minimizar os impactos desse novo recrudescimento da pandemia", garantiu Longo. 

 

 

Comentários

Últimas notícias