COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Pernambuco está entre os Estados brasileiros que menos vacinam contra a covid-19; SES credita problema à atualização de sistema

Painel atualizado na manhã desta terça-feira (6), pelo Ministério da Saúde, mostra que 51,8% das doses recebidas pelo Estado foram aplicadas. Em São Paulo, por exemplo, esse índice é de 75,1%

Cinthya Leite
Cinthya Leite
Publicado em 06/04/2021 às 17:57
Análise
FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Até a segunda-feira (5), Pernambuco aplicou 1.170.481 doses de vacinas contra a covid-19, das quais 910.871 foram primeiras doses, segundo a Secretaria Estadual de Saúde - FOTO: FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Leitura:

Entre as 27 unidades da federação, Pernambuco é a 11º no ranking das que menos utilizaram as doses de vacinas contra covid-19 encaminhadas pelo Ministério da Saúde até o dia 1º de abril. Painel atualizado na manhã desta terça-feira (6), pelo Ministério da Saúde, mostra que 51,8% das cerca de 1,7 milhão de doses recebidas pelo Estado foram aplicadas (veja ranking no fim desta matéria). O Estado de São Paulo, por exemplo, está em 4ª posição, com 75,1% dos imunizantes já aplicados. Vale frisar que os dados divulgados pelo governo federal podem apresentar diferenças em relação aos apresentados pelas unidades federadas, pois nem todos os registros de doses aplicadas chegam em tempo real à base nacional. No painel, o próprio ministério informa um número menor de doses do que já enviou a Pernambuco. 

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), com base na atualização da última segunda-feira (5), 1.833.530 doses de vacinas contra a covid-19 já foram recebidas. Entre elas, 1.170.481 foram aplicadas, o que corresponde a aproximadamente 64% do total de imunizantes que chegaram ao Estado até o último dia 1º de abril. Ainda segundo a SES, das 1.142.440 doses que chegaram para ser usadas como primeira aplicação, 79,7% foram aplicadas.

A secretaria ainda informa que, entre as 691.090 doses recebidas para a segunda aplicação (aproximadamente metade - 346.910 - chegou no dia 1º/4), 37% foram utilizadas. Dessa remessa mais recente enviada, 32.250 são da vacina da AstraZeneca/Oxford/Fiocruz e serão destinadas aos idosos a partir de 85 anos. Esse público iniciou o esquema de imunização no fim de janeiro, com indicação da segunda dose apenas três meses após a primeira. A previsão é que esses idosos comecem a finalizar o esquema (com a segunda dose) daqui a duas ou três semanas, segundo informa a superintendente de Imunização da Secretaria Estadual de Saúde, Ana Catarina de Melo. "Já distribuímos, aos municípios, 40% do volume destinado a essa segunda dose, voltada ao grupo a partir de 85 anos. A expectativa é que esta semana a gente receba, do Ministério da Saúde, mais unidades para esse público", diz. 

Sobre o ritmo da imunização em Pernambuco diante do cenário nacional (11º no ranking dos que menos utilizaram doses de vacinas contra covid-19), com base no painel divulgado pelo Ministério da Saúde, ela explica que há um atraso, por parte dos municípios, na digitação em sistema do número de doses aplicadas na população que faz parte do público-alvo. "Além disso, existe uma inconsistência do sistema, como também houve uma demora, por parte do Ministério da Saúde, em dar agilidade ao sistema. Isso atrapalha bastante. Mas temos realizado um trabalho diário com os municípios para melhoria desses dados (atualização)", justifica Ana Catarina. 

Sobre a cobertura vacinal dos grupos prioritários, ela avalia que a proporção de pessoas já imunizadas é boa. "Sabemos que, se houvesse mais doses, o ritmo seria mais acelerado. Para alguns públicos, estamos agora chegando no tempo de aplicar a segunda dose (da CoronaVac, que pode ser  administradas em um período de 14 a 28 dias após a primeira)." Sobre o índice de desperdício de doses de vacinas contra covid-19 em Pernambuco, Ana Catarina destaca que os municípios não têm ultrapassado os 5% de perdas previstos no Plano Nacional de Imunizações. 

A SES ainda destaca que produziu um plano de operacionalização para a vacinação contra covid-19 focado em orientação aos gestores municipais em suas ações. "São realizados encontros periódicos na Comissão Intergestores Bipartite (CIB) para pactuação e orientação. Nesses momentos, é reforçada a necessidade de otimizar as ações para que não haja desperdício ou perda da vacina. O Programa Estadual de Imunização também está permanentemente à disposição para auxiliar as cidades em suas atividades. Por fim, a SES informa que os municípios têm relatado a otimização das doses do imunizante, conseguindo, muitas vezes, utilizar mais do que dez doses por frasco", diz, em nota, a secretaria. 

São Bento do Una 

A Secretaria Estadual de Saúde (SES), por meio do Programa Estadual de Imunização (PNI-PE), informa que já encaminhou, ao Ministério da Saúde (MS), na última segunda-feira (5), o relatório do município de São Bento do Una, no Agreste de Pernambuco, sobre o problema na câmara fria que armazena os imunobiológicos da cidade. "Agora, aguarda-se um posicionamento do órgão federal sobre a avaliação do caso e as medidas cabíveis", diz, em nota, a SES. 

Segundo a secretaria, com a extorsão da temperatura na câmara fria de São Bento do Una, houve uma possível perda de 2.805 doses do imunizante contra a covid-19, além de 410 vacinas para outras doenças. "Enquanto aguarda a resposta do órgão federal, para auxiliar o município e não prejudicar a população, a SES dispensou 400 doses do estoque estratégico estadual para a cidade dar continuidade a suas ações."

Para que casos como esse não ocorram, a SES reforça a importância de os gestores municipais fazerem o monitoramento permanente, inclusive aos finais de semana e feriados, das suas câmaras frias, que devem funcionar dentro dos parâmetros exigidos para conservação das vacinas. Além disso, é indispensável o controle dos estoques das doses contra o novo coronavírus e planejamento para que o insumo beneficie os grupos prioritários logo que seja entregue às secretarias municipais. 

Estados brasileiros que mais aplicaram doses recebidas de vacinas contra covid-19

1. AL = 118,4%
2. RR = 112,4%
3. RN = 95%
4. SP = 75,1%
5. ES e AP = 68,1%
6. BA = 67,9%
7. PB = 66,9%
8. TO = 66,8%
9. RS = 60,4%
10. MT = 56,1%
11. SC = 53,6%
12. CE = 52,8%
13. MS = 52,4%
14. MA = 52,2%
15. DF = 52%
16. PE = 51,8%
17. AC = 51,7%
18. PI = 51,5%
19. RO = 50,9%
20. PA = 50,5%
21. GO = 49%
22. SE = 47,9%
23. MG = 46,6%
24. PR = 45,3%
25. AM = 42,4%
26. RJ = 39,3%

*Fonte: Ministério da Saúde, com painel atualizado em 06/04/2021, às 12h32, e dados contidos na Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS). Dados desse painel podem apresentar diferenças em relação aos divulgados pelas unidades federadas e municípios, pois nem todos os registros de doses aplicadas chegam em tempo real

Comentários

Últimas notícias