VACINAÇÃO

Pernambuco passa a exigir 3ª dose para todas as pessoas a partir de 18 anos

Já a 2ª dose será exigida para adolescentes entre 12 e 17 anos

Diogo Menezes
Cinthya Leite
Bruno Vinicius
Publicado em 15/03/2022 às 11:29
MYKE SENA/MS
Em Pernambuco, cerca de 43% das crianças já foram vacinadas e na capital 53% - FOTO: MYKE SENA/MS
Leitura:

Em coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira (15), o secretário de saúde de Pernambuco, André Longo, informou que o Estado passa a exigir o passaporte vacinal com as três doses da vacina contra a covid-19, a partir da quarta-feira (16), para pessoas a partir de 18 anos. Essa dose de reforço (ou terceira dose) será obrigatória para aqueles que já tiverem cumprido o prazo de quatro meses desde a segunda aplicação. Já o documento com as duas primeiras doses será exigido para adolescentes entre 12 e 17 anos. O reforço na cobrança do passaporte vacinal vem como forma de incentivar a população a se imunizar, especialmente neste momento de aumento de flexibilização, em que Pernambuco está com cobertura vacinal menor do que 80% (duas doses) e do que 40% (dose de reforço).  

"Apesar da eficácia e segurança das vacinas, ainda temos um número aquém do desejado. As pessoas estão ansiosas pelo fim da pandemia e com o desejo enorme de tirar as máscaras. Mas isso só será possível se aumentar o número de pessoas protegidas, especialmente devido a esse período de sazonalidade que passamos. São mais de 350 mil pessoas acima de 60 anos que ainda não tomaram a dose de reforço", explica o secretário.

REFORÇO

"Ainda não conseguimos atingir a marca de 80% da segunda dose para os elegíveis ou mesmo com a dose única. Entre as crianças, temos apenas 44% de cobertura da primeira dose. E a terceira dose temos quase 40% do público elegível. E tem uma situação que nos preocupa mais: os idosos. É o grupo que tem o reforço mais importante por causa da menor resposta e maior velocidade de queda de anticorpos. Esse número ainda não chegou a 70% nessa faixa etária", aponta André Longo.

EVENTOS

O Gabinete de Enfrentamento à Covid-19 também definiu novas flexibilizações no Plano de Convivência, que entram em vigor a partir desta quarta-feira (16), com validade até 31 de março. Fica autorizada a realização de eventos em geral (incluindo sociais, corporativos e culturais) com limite máximo de 10 mil pessoas ou 70% da capacidade do local, o que for menor, e segue obrigatória a apresentação do passaporte vacinal. 

Em relação à presença das torcidas nos estádios em jogos de futebol profissional, o limite estabelecido é de 50% da capacidade do local. Para os outros eventos esportivos e competições em geral, será permitido um público de 10 mil pessoas ou 70% da capacidade, o que for menor. Nesses casos, segue obrigatória a apresentação de passaporte vacinal com a mesma exigência dos demais eventos. 

Nos serviços de alimentação, a capacidade será de 100%, com cumprimento dos protocolos estabelecidos pelo setor. Os cinemas, teatros, circos e museus também atuarão com capacidade máxima. Para entrada nesses estabelecimentos, o passaporte vacinal completo segue sendo obrigatório. Para pessoas a partir de 18 anos, após quatro meses da segunda dose, será exigido o comprovante do reforço.

"É importante frisar que todos os protocolos de segurança dos setores devem ser mantidos, como o distanciamento e o uso de máscaras. O que esperamos é que a análise dos próximos dias seja positiva, que as pessoas sigam cumprindo as orientações e que quem ainda não completou o esquema vacinal ouça o chamado do secretário de Saúde para fazê-lo", ressaltou a secretária-executiva de Desenvolvimento Econômico, Sidia Haiut.

Comentários

Últimas notícias