Dicas e informações de viagens, férias e turismo
Turismo de Valor

Descubra dicas de viagem e roteiros para as férias, além dos destinos e atrações que estão em alta no turismo.

CHINA

200 anos confinados? Companhia aérea chinesa diz que tripulações passaram 73.000 noites em quarentena

A empresa de Hong Kong informou que o período em quarentena equivalente a quase 200 anos foi registrado apenas no ano passado

AFP Leonardo Vasconcelos
Cadastrado por
AFP
Leonardo Vasconcelos
Publicado em 12/01/2022 às 12:09
Anthony WALLACE / AFP
A empresa aérea de Hong Kong disse que seus tripulantes passaram o equivalente a 200 anos de quarentena - FOTO: Anthony WALLACE / AFP
Leitura:

Duzentos anos em quarentena. Exatamente isso. A companhia aérea Cathay Pacific, de Hong Kong, na China, declarou, na terça-feira (11), que suas tripulações passaram um total de 73.000 noites em quarentena no ano passado, o equivalente a dois séculos, segundo a empresa. 

>> Polêmica: Turistas terão que pagar taxa para entrar na Tailândia; confira o valor que divide opiniões

Em um contexto difícil, a empresa luta para continuar oferecendo seus voos, apesar da severa política de Hong Kong. Em uma mensagem de vídeo, o CEO da Cathay, Patrick Healy,da empresa, agradeceu a todos os funcionários pelos sacrifícios feitos, já que as medidas especialmente rigorosas impostas neste território para combater a pandemia da covid-19 mantêm sua equipe separada da família durante semanas.

>> Província canadense vai criar taxa para não vacinados contra a Covid-19

"O que viveram nestes últimos dois anos é algo nunca visto", afirmou. "Em conjunto, nossas tripulações passaram mais de 62.000 noites em hotéis em quarentena, em 2021, e mais de 1.000 de vocês passaram de 11.000 noites em Penny's Bay", disse ele, referindo-se ao campo de quarentena do governo de Hong Kong.

>> Segredo: Como conseguir achar a ''praia escondida'' formada pela explosão de uma bomba

A companhia aérea de Hong Kong está sendo investigada, após o surgimento de um foco de casos de covid-19 ligado a membros de sua tripulação. Procedentes do exterior, estas pessoas teriam descumprido a quarentena.

As autoridades querem esclarecer se "a companhia aérea seguiu as regras" em vigor, declarou a chefe de governo de Hong Kong, Carrie Lam, em 11 de janeiro. Segundo Healy, a "ínfima minoria" que não respeita as regras não deve ofuscar os esforços feitos pela empresa.

 

 

 

Últimas notícias