Streaming

Filme nacional 'Ricos de Amor' quer fazer rir e emocionar na Netflix

Comédia romântica estrelada por Danilo Mesquita e Giovanna Lancellotti estreia na plataforma nesta quinta-feira (30)

Robson Gomes
Robson Gomes
Publicado em 29/04/2020 às 20:30
MARIANA VIANNA/NETFLIX
Apostando em um elenco conhecido, o filme nacional 'Ricos de Amor' estreia nesta quinta-feira (30) na Netflix - FOTO: MARIANA VIANNA/NETFLIX
Leitura:

Na busca de trazer um pouco mais de brasilidade para seus filmes originais, a Netflix estreia hoje em seu catálogo a comédia romântica Ricos de Amor. O roteiro escrito por Bruno Garotti – que também assina a direção – e Sylvio Gonçalves traz Danilo Mesquita e Giovanna Lancellotti como casal protagonista numa trama que mistura zona rural e zona urbana embalada pela trilha sonora original de Mu Carvalho e canções do DJ Alok.

>> Maurício Meirelles diverte com seu caos na Netflix

>> 'A Vida e a História da Madame C. J. Walker' transborda inspiração na Netflix

>> Série mexicana da Netflix usa sobrenome Bolsonaro como sinônimo para 'burro'


Na sinopse do longa, somos levados para Paty do Alferes, uma cidade interiorana localizada a 100 km do Rio de Janeiro, onde conhecemos o jovem playboy Teto (Danilo Mesquita). Dias antes do seu aniversário, ele recebe a oferta de trabalhar na empresa do pai Teodoro (Ernani Moraes) – um império da fabricação de tomates na região – mas ele prefere seguir como anônimo e tentar a sorte com as próprias pernas na sede da Tomates Trancoso na capital carioca após conhecer a jovem médica em formação Paula (Giovanna Lancellotti), por quem se apaixona devido ao seu senso de justiça e pé no chão. Mas, para tentar conquistá-la, Teto finge ter crescido pobre, como o seu amigo e fiel escudeiro Igor (Jaffar Bambirra), e acaba se envolvendo numa teia de mentiras, que o coloca em maus lençóis.

Por telefone, o jovem ator Jaffar Bambirra, de 22 anos, contou ao Jornal do Commercio um pouco sobre Ricos de Amor. “O primeiro momento que li o roteiro, junto com o elenco, gostei de descobrir as viradas. Foi muito divertido ver a faceta dos personagens, essa relação do Teto com o Igor que cai nesse lugar da meritocracia, as críticas do roteiro, o lugar da mulher no trabalho, e ao mesmo tempo, essa leveza. Achei interessante a crítica de forma leve que o filme traz. Acho que foi o meu maior impacto”, disse o intérprete do Igor.

Além de ser o melhor amigo do protagonista, Jaffar acaba contracenando com Fernanda Paes Leme, que interpreta Alana, a consultora de RH da Tomates Trancoso, responsável pela seleção do emprego que envolve Igor e Teto. “Eu fui a última do elenco a entrar no filme. Ainda não sabia muito dele, mas sabia do elenco envolvido – e todos eram meus amigos – então eu já tinha vontade de fazer. Foi um convite do Bruno (Garotti, diretor e roteirista), com quem já tinha trabalhado no (filme) Cinderela Pop (2019). E ainda haviam dúvidas sobre me dar a personagem, porque no início a Alana tinha um tom mais de vilã, e eu tinha acabado de fazer uma vilã no Cinderela Pop com o Bruno e a mesma equipe. Mas como deram mais leveza para a Alana, e esta é a palavra do filme, acabei ficando”, relatou a atriz por telefone ao JC.

Para compor o seu personagem, Jaffar Bambirra conta que Igor pouco se assemelha ao intérprete: “O Igor é um personagem que tem uma pureza, uma delicadeza, mas também tem uma racionalidade, uma maturidade muito grande. Acho que a pureza e a inocência dele é muito pelo lugar dele não conhecer muitas coisas, por nunca sair do mundinho dele no interior e o sonho dele é sair disso. Quando ele chega nesse novo universo, ele fica muito encantado com as coisas. E esse encantamento no olhar, e isso talvez eu tenha trazido de mim. Eu sou muito encantado com as coisas. Ao olhar o mar, ele se encanta com aquilo... Não sei exatamente o que eu agreguei ao personagem porque acho que fazer um personagem tem muito de você, mas ao mesmo tempo não tem. É uma junção de muitas coisas”.

Fernanda Paes Leme também relatou o processo de composição de sua Alana. “Eu fiz pesquisas pela internet, até porque tem muitos cursos online disso. Eu vi vários vídeos, uns engraçados até, porque é um universo muito, mas muito diferente do meu! Existe uma positividade, um jeito de falar diferente, de se portar, que eu levei isso para Alana. Assisti bastante à Julia Roberts em O Casamento do Meu Melhor Amigo porque acho que ela traz uma personalidade meio durona sem perder a ternura, e tem esse lado meio extrovertido, meio desastrado, meio maluco”, declara.

TRAMA BEM CONTADA

Ao longo dos 105 minutos de filme, Ricos de Amor se revela uma história simples, mas bem contada. Com um roteiro bem amarrado, explorando esse universo dos “agroboys” como premissa, Ricos de Amor consegue abordar levemente outras questões interessantes, de valores pessoais e morais, sem deixar de lado o gênero escolhido, que é a comédia romântica. Um dos destaques é a questão do assédio que a mocinha Paula vive através do médico oportunista Victor (Caio Paduan).

Com um pouco de fantasia, a storyline de Monique (Lellê) tenta colocar inserir as favelas numa trama de protagonistas de classe média alta, mas no sentido de contraponto de extremos, funciona para o andamento da história. Todo o elenco se mostra bem entrosado em cena e entregam atuações convincentes. E claro, o famoso clichê de beijo final dos protagonistas com uma paisagem panorâmica se abrindo ao fundo também está lá.

E se você ainda questiona se vale a pena assistir o longa, Fernanda Paes Leme faz o convite. “Ricos de Amor trata de temas muito atuais e junta tudo isso para contar uma história de amor. É muito interessante você ver que todos os personagens tem seus conflitos, mas isso é tratado de forma leve, com comédia e romance. Acho que esses são ingredientes perfeitos para contar uma história para entreter e se divertir”, conclui a atriz.

Comentários

Últimas notícias