TRISTEZA

Artistas evidenciam irreverência e legado de Genival Lacerda, que morreu vítima da covid-19

Amigos e parceiros de estrada repercutem falecimento do artista

Daniel Ferreira
Daniel Ferreira
Publicado em 07/01/2021 às 9:35
Notícia

Divulgação
Artistas lamentam morte de Genival Lacerda - FOTO: Divulgação
Leitura:

Matéria em atualização*

 

O segmento musical perdeu, na manhã desta quinta-feira (7), um dos grandes pilares da regionalidade nordestina. O cantor paraibano Genival Lacerda estava internado desde o último mês de novembro e não resistiu às complicações da covid-19, incluindo uma infecção nos pulmões. A notícia foi recebida com tristeza por amigos e parceiros de estrada, que evidenciaram a irreverência e legado que Genival deixa para a cultura do Nordeste e do Brasil.

 

>> Genival Lacerda morre aos 89 anos no Recife após contrair covid-19

>> Família de Genival Lacerda pede doação para Banco de Sangue em nome do cantor

>> Sem data para começar vacinação da covid-19, Pazuello vai à TV para dizer nada novo

>> Covid-19: Pazuello diz que Brasil tem 354 milhões de doses de vacinas asseguradas, mas não confirma data de início da imunização

 

O cantor e compositor Maciel Melo, que está em Petrolina, Sertão de Pernambuco, recebeu a notícia pela televisão. Em depoimento ao Jornal do Commercio, ele brincou com as características ao contar como enxergava Genival. "Perdemos o rei da 'munganga'. Mais uma grande referência da cultural sertaneja se vai. Irreverente, debochado e sarcástico; mas era ele quem apimentava a música nordestina", lamentou ele, que tinha uma relação de amizade com Genival. "Era uma das minhas referências. Éramos amigos. Tive a satisfação de tê-lo participando de um disco meu. Desde 1975, quando ele gravou Severina Xique-Xique, que o tenho na minha relação de ídolos. Virei seu fã e enveredei por esse caminho", concluiu.


Josildo Sá resolvia algumas pendências nas ruas de Tacaratu, interior do estado. Ao retornar para casa, foi surpreendido com a informação, dada por sua mulher, Roberta. Não segurou as lágrimas. "O mundo terreno perde um bocado de alegria para o céu que é cheio de estrelas. E nosso mestre tem tal brilho que vai ser impossível olhar pro céu e não dizer: 'Quem dera ter você de novo'", disse em conversa com o JC. Ele também definiu Genival como alguém extremamente irreverente, repleto de alegria, bom humor e "pura safadeza". "Me identificava muito com ele", falou.

 

Afonso Oliveira, produtor musical, deu seu depoimento e deixou clara a falta que o artista fará para o forró. "Genival deixa uma lacuna muito grande na cultura popular brasileira, porque a obra que ele construiu é imensa. Ele, como Jackson do Pandeiro, seu grande amigo, inovou, bebendo na fonte do circo, no coco da umbigada, no pastoril. Genival é gênio e de um grande coração. Espero que a partir de agora as pesquisas sobre seu trabalho cresçam", desabafou.

 

O Twitter não ficou de fora e a morte do cantor repercutiu bastante na plataforma. Nomes como Daniela Mercury e Marcelo D2 prestaram suas homenagens em suas respectivas contas. Felicidade e alegria foram palavras usadas por ambos; realmente, essa parece ser a principal característica lembrada por todas que tiveram contato, ao menos uma vez, com Genival Lacerda.

 

 

 

Já no Instagram, foi a vez da amiga e também cantora Elba Ramalho deixar suas considerações. Em vídeo. "Tudo na vida de Genival era uma grande festa; ele amava o forró, ele cantava e representava nossa cultura com muita autoridade. Fica aqui o legado que ele deixou para todos, a saudade, e que ele descanse em paz", disse. O relato veio acompanhado de um registro de Elba e Lacerda no estúdio, em um momento descontraído.

 

Cobertura da TV JC

 

Comentários

Últimas notícias