TELEVISÃO

'Passaporte para Liberdade': saiba tudo sobre a nova minissérie brasileira que estreia nesta segunda (20)

Produção conta a história de Aracy de Carvalho, que enfrentou o regime nazista para salvar judeus da morte

Nathália Pereira
Nathália Pereira
Publicado em 18/12/2021 às 8:35
VICTOR POLLAK/TV GLOBO/DIVULGAÇÃO
Sophie Charlotte vive Aracy de Carvalho, brasileira aliada na luta contra o regime nazista alemão - FOTO: VICTOR POLLAK/TV GLOBO/DIVULGAÇÃO
Leitura:

Estreia na próxima segunda-feira (20), nas noites da TV Globo, a inédita e aguardada Passaporte para Liberdade. A minissérie em oito capítulos mergulha na história de Aracy de Carvalho (Sophie Charlotte). Apresentada como uma "mulher forte, determinada e simples", Aracy nunca almejou títulos e reconhecimentos, mas se tornou um dos principais nomes aliados da luta contra os horrores do regime nazista.

A obra começou a ser produzida em 2018, mas precisou ser pausada por questões burocráticas. Mais tarde, sofreu nova pausa, desta vez, por causa da pandemia de covid-19. É uma criação de Mario Teixeira, com direção artística de Jayme Monjardim. O ator Rodrigo Lombardi protagoniza a série ao lado de Sophie Charlotte, vivendo o escritor João Guimarães Rosa, marido de Aracy de Carvalho.

A trama acompanha a história da brasileira que, em 1935, divorciada do primeiro marido e com um filho pequeno, Eduardo, vai para a Alemanha em busca de trabalho, conseguindo um cargo no consulado brasileiro em Hamburgo, no setor de passaportes. Lá, decidiu colaborar para a salvação de muitos judeus da prisão e do Holocausto ao facilitar a emissão de vistos destes para o Brasil.

VICTOR POLLAK/TV GLOBO/DIVULGAÇÃO
O casal João Guimarães Rosa e Aracy de Carvalho é vivido por Rodrigo Lombardi e Sophie Charlotte - VICTOR POLLAK/TV GLOBO/DIVULGAÇÃO

O enredo se desenvolve a partir da convocação de João Guimarães Rosa (Rodrigo Lombardi) para ocupar o cargo de cônsul-adjunto do Brasil em Hamburgo. Em seu primeiro dia de trabalho, o brasileiro conhece e se encanta por Aracy. Com o passar dos dias, João percebe que a funcionária esconde algo: se encontrando com judeus às escondidas, em companhia de Hardner (Stefan Weinert), cúmplice e melhor amigo, Aracy é questionada e acaba explicando todo seu esquema para Guimarães Rosa. Ele chega a hesitar, mas logo se torna apoiador da futura esposa.

SOPHIE CHARLOTTE

Responsável por viver Aracy de Carvalho, Sophie Charlotte enaltece a saga da brasileira. "Essa jornada da Aracy é muito poderosa. Vivê-la em cena me despertou para a importância de se ter coragem na vida, de agir pelo coração, seguir adiante sem temer, não deixar o medo tomar conta. Essa coragem virou um grande lema na minha jornada. Acho que essa série é um convite à ação. A gente pode ter um discurso lindo e não fazer nada, ou ser absolutamente reservado e transformar a vida das pessoas - que foi o caso da Aracy", destaca.

Rodrigo Lombardi acrescenta observações sobre a grandiosidade da produção e os desdobramentos da trajetória vivida pelo casal para a cultura nacional. "O João Guimarães Rosa que conheceu essa guerreira era 'só um cara'. Que, apaixonado por tudo que era apaixonado, chega [depois, ao Brasil] e se torna um dos maiores autores de todos os tempos. É impossível acreditar que ele tenha escrito tudo o que escreveu sem se lembrar do que viveu na Segunda Guerra. É de uma riqueza tamanha essa história", opina.

Já Jayme Monjardim recorda a logística desenvolvida para a feitura do trabalho. "Foram três anos. Começamos na Argentina, em Buenos Aires, viemos para o Rio de Janeiro, nos Estúdios Globo, tivemos que parar por um ano e trabalhamos mais um ano (para finalizar)", detalhou. "A gente não imaginava, por exemplo, conseguir fazer a destruição da Noite dos Cristais com 12 pessoas. Temos que agradecer à tecnologia, pois conseguimos resolver muita coisa com a computação gráfica. Foi difícil, mas me sinto muito feliz com o resultado".

TV GLOBO/DIVULGAÇÃO
Minissérie mostra a atuação da brasileira Aracy de Carvalho contra os horrores ocorridos na Alemanha nazista - TV GLOBO/DIVULGAÇÃO

ANJO DE HAMBURGO

Antes de receber o título final de Passaporte para Liberdade, a minissérie chegou a ser divulgada como Aracy, o Anjo de Hamburgo, e mais ainda como O Anjo de Hamburgo, em referência ao apelido atribuído a Aracy de Carvalho pela ajuda dada ao povo judeu.

Por suas ações em oposição ao nazismo, Aracy recebeu do governo de Israel o título de "Justa entre as Nações". Há homenagens feitas a ela tanto no Museu do Holocausto de Israel quanto no existente em Washington, nos Estados Unidos.

Aracy de Carvalho morreu no dia 28 de fevereiro de 2011, em São Paulo, aos 102 anos, de causas naturais. Foi sepultada no Mausoléu da Academia Brasileira de Letras, ao lado de Guimarães Rosa, que faleceu em 1967, com apenas 59 anos. Aracy não se casou novamente. Os dois estão no Cemitério de São João Batista, no Rio de Janeiro.

CO-PRODUÇÃO

Passaporte para Liberdade é uma co-produção entre a TV Globo, a produtora Floresta e a Sony Pictures Television, com texto todo falado em inglês. Por isso, será exibida dublada na televisão aberta. No Globoplay, plataforma de streaming da Globo, estará disponível também com a versão original, junto à opção com legendas.

Comentários

Últimas notícias