MÚSICA

Combo X, projeto de Gilmar Bolla 8, mescla manguebeat e soul para denunciar violência nas favelas

Faixa "Amigo do Fiel" chegou acompanhada por clipe gravado em locações como Rio Capibaribe, Mercado São José, Cais José Estelita e nas palafitas do Pina

Emannuel Bento
Emannuel Bento
Publicado em 05/02/2022 às 14:30
KARLA FAGUNDES/DIVULGAÇÃO
MÚSICA PERNAMBUCANA Combo X é formado por Gilmar Bolla 8, Bactéria e mais músicos - FOTO: KARLA FAGUNDES/DIVULGAÇÃO
Leitura:

O projeto Combo X, capitaneado por Gilmar Bolla 8 e Bactéria, lançou na última sexta-feira (4) o clipe de "Amigo do Fiel", canção que versa sobre dificuldades vividas nas periferias brasileiras, principalmente o uso indiscriminado da força policial nas favelas. A sonoridade passeia entre batidas do manguebeat e da soul music.

A produção musical é do próprio Combo X. A mixagem e masterização levam a assinatura de Buguinha Dug. A faixa chega com clipe gravado no Rio Capibaribe, Mercado São José, Cais José Estelita e nas palafitas do Pina. A direção é assinada por Eliminar Caranguejo e Gilmar Bola 8.

Na banda, Bactéria ainda assume baixo e teclado. Thiago Brandão (bateria e guitarra), Izidio Oliveira (trambone) e Rinaldo Karimbó (percussão) completam a atual formação.

"Amigo do Fiel representa muito do que vivemos hoje. O racismo desenfreado, a perseguição às minorias", diz Bactéria. "A música veio para abordar isso, essas questões sociais que existem e que temos que combater, temos que falar sobre elas. A letra sintetiza isso de uma forma clara, objetiva e ao mesmo tempo lúdica. Quando você vai pra música, vira poesia."

Constantes relatos das mortes de crianças pela violência no Rio de Janeir há tempos tiram o sono de Gilmar Bola 8 que resolveu transformar essa angústia em um grito de denúncia. Ele comenta que "o rótulo de bandidos - é automático - por serem pretos, na maioria. E são mortos toda hora, abatidos. Isso sempre me incomodou e me incomoda muito. Acontece no Brasil a toda hora e há muito tempo. E na maioria dos casos são os Policiais Militares que fazem isso na frente de todo mundo e fica por isso mesmo", desabafa.

"Eu já morei no Rio, sei que é o cotidiano (de mortes) da cidade, a polícia abatendo moradores da favela e fico com isso na cabeça o tempo todo. Fiz a música para abordar esse assunto. Pesquisei, li muitas matérias e documentários sobre crime organizado no Rio e uma das coisas que eu trouxe para letra foi a expressão "amigo do fiel". Eles chamam o Fuzil de Fiel. E daí vem o refrão da música", resume.

"Tem muita coisa que une o Brasil, a favela é um ponto de união. Todo Brasil tem uma favela, toda favela tem sonhadores, tem seus guerreiros. Eu acho legal ter essa visão pra periferia. Tem o lado belo e o lado triste, pesado. E o contraste disso tudo, desses dois, do amigo e do fiel", completa.

Comentários

Últimas notícias