covid-19

Calendário da 2ª parcela do auxílio emergencial será mais ''espaçado'' e não se concentrará em uma semana

Embora ainda não tenha divulgado calendário, presidente da Caixa diz que segunda rodada de pagamento será mais eficiente

Lucas Moraes
Cadastrado por
Lucas Moraes
Publicado em 06/05/2020 às 15:52 | Atualizado em 06/05/2020 às 16:41
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Movimentação em frente à Caixa Econômica da Encruzilhada, no Recife, durante a pandemia do coronavírus - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

O calendário para pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial, embora não tenha ainda datas definidas, não deverá seguir o mesmo critério que fora adotado para pagamento da primeira parcela. De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, os beneficiários não receberão o dinheiro ao longo de pouco mais de uma semana, conforme o mês de nascimento. 

"Na segunda parcela, poderemos pagara de maneira diferente. Estamos discutindo uma maneira onde já temos a base de dados e podemos ser mais eficientes. A grande maioria das pessoas terá a organização com datas espaçadas. Não faremos a maneira de pagar (a nascidos em) janeiro e fevereiro num dia e, no outro dia, aos nascidos em outros meses", afirmou Guimarães durante transmissão ao vivo para fazer uma balanço dos saques realizados nesta quarta-feira (6). 

Calendário

O calendário ao qual se refere o presidente da Caixa diz respeito sobretudo às datas para que as pessoas façam o saque do auxílio emergencial nas agências da Caixa. No pagamento da primeira parcela, inscritos no aplicativo ou site que criaram uma conta poupança digital e precisaram sacar o dinheiro começaram a ter acesso ao pagamento em espécie no dia 27 de abril. Naquela data, foram feitos pagamentos aos nascidos em janeiro e fevereiro,  seguindo um calendário diário e sequenciado de acordo com os meses de nascimento dos beneficiários. Esse calendário teve seu encerramento no último dia 5 de maio. 

Mesmo assim, a Caixa continua fazendo os saques nas agências. Hoje, o banco disse ter reduzido "consideravelmente" as filas para realização das operações. No entanto, em unidades como a de Casa Amarela e Encruzilhada, no Recife, as filas ainda eram grandes, mesmo restando sacar o pagamento aquelas pessoas que não o fizeram conforme o calendário. 

Ontem, a Caixa encerrou o dia com pagamentos realizados para 1,083 milhão de pessoas. Hoje, segundo os números do banco, o volume girava em torno dos 700 mil. Ao todo, o banco contabiliza 18 milhões de brasileiros com contas poupança digitais criadas. Do auxílio emergencial (incluindo beneficiários do programa Bolsa Família e Cadastro Único) o número de pagamentos já chega a 50 milhões de pessoas. 

 

 

Comentários

Últimas notícias