INFRAESTRUTURA

Celpe conclui investimento de R$ 21 milhões para evitar apagões no Estado

A distribuidora fez ampliação e modernização de duas subestações, uma no Bairro da Várzea, no Recife, e outra em Serra Talhada, no Sertão

JC
JC
Publicado em 15/12/2020 às 21:40
Notícia

Foto: Celpe/Divulgação
A subestação da Celpe em Serra Talhada recebeu investimentos de R$ 9,2 milhões - FOTO: Foto: Celpe/Divulgação
Leitura:

A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) está concluindo investimentos superiores a R$ 21 milhões empregados em duas subestações de energia que vão dar mais confiabilidade ao sistema elétrico dos pernambucanos. É fundamental melhorar a segurança nesse tipo de equipamento para evitar a interrupção do serviço. Nesta terça-feira (15), a distribuidora colocou em operação a Subestação Serra Talhada II, na cidade sertaneja de mesmo nome. A Subestação Várzea, na Zona Oeste do Recife, será energizada nesta quarta-feira (16).

>> Nordeste vai ganhar 'corredor verde' para veículos elétricos

A subestação da Várzea recebeu um investimento de R$ 12 milhões. Segundo o gerente de expansão de subestações da empresa Neoenergia, José Ferraz, o equipamento passou por um processo de ampliação e modernização para trazer mais robustez ao sistema, sendo instalados sistemas de segurança, sensores e alarmes. Lá foram substituídos todos os disjuntores e chaves de 69 kV, além da reforma e pintura da estrutura metálica do barramento de 69 kV e construção de nova casa de comando. O empreendimento atende a 110 mil pessoas que moram nas cidades do Recife, de Jaboatão dos Guararapes, de Camaragibe e de São Lourenço da Mata.

Em ambas as subestações, as obras começaram em maio. Na da Várzea, a parte física das instalações acabou em 28 de outubro. Na subestação de Serra Talhada foram empregados R$ 9,2 milhões e a reforma realizada foi concluída em novembro último. O empreendimento vai beneficiar os cerca de 90 mil habitantes do município. "A cidade também vai ter mais energia disponível e isso pode atrair novos empreendimentos", resumiu José Ferraz. A potência inicial instalada no empreendimento é de 20 mega volt Ampère (MVA), mas com o crescimento habitacional natural da cidade, o equipamento pode chegar a capacidade de 52,2 MVA. O MVA é uma medida de energia.

"Apesar da covid-19, mantivemos os investimentos e as obras não pararam, continuamos com as ações que estavam previstas, utilizando todos os protocolos de segurança", afirmou José Ferraz. Ele argumentou também que essas obras também contribuíram pra fazer a economia girar localmente num momento crítico como o atual. Atualmente, as duas subestações são as mais modernas do Estado, com tecnologia de ponta, proteção, automação e segurança, segundo as informações da Celpe. As obras e a ampliação foram feitas dentro de um novo conceito que ocupa menos área útil e reduz o impacto visual.

A Celpe é uma empresa da Neoenergia, que atua na área de geração e distribuição. A empresa pernambucana distribui energia elétrica para os 184 municípios do Estado e para a cidade de Pedras de Fogo, na Paraíba, com 3,7 milhões de clientes. Também é responsável pela geração e distribuição de energia elétrica no Arquipélago de Fernando de Noronha. Sua área de concessão é de 98,5 mil quilômetros quadrados.

Comentários

Últimas notícias