ESTIMATIVAS

Com cancelamento de Carnaval, setor hoteleiro prevê queda de mais de 15% na ocupação durante o feriadão em Pernambuco

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Pernambuco estima que os hotéis do Estado devem registrar taxa de ocupação de 70% a 75% durante o feriadão

Marcelo Aprígio
Marcelo Aprígio
Publicado em 14/01/2021 às 22:34
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Na capital pernambucana e em Olinda, principais focos da folia no Estado, essa taxa deve ficar próxima de 60% - FOTO: YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

Estimativas da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Pernambuco (Abih-PE) apontam que os hotéis do Estado devem registrar taxa de ocupação de 70% a 75% durante o feriadão de Carnaval. Apesar de as estimativas estarem abaixo do índice do ano passado, as previsões indicam bons ventos futuros para o setor, que começa a se recuperar após ser fortemente impactado pela pandemia do novo coronavírus.

>> Pernambuco terá feriado de Carnaval em 2021?

“A expectativa para o Carnaval é boa, principalmente para destinos que não seja Recife e Olinda, cidades circunvizinhas. Com a proibição da folia nas ruas, muita gente vem curtir outros lugares. Então, os principais destinos de praia e campo estão com ocupação em torno de 70% a 75%”, conta o presidente da Abih-PE, Eduardo Cavalcanti, afirmando que isso representa uma redução de mais de 15% se comparado a 2020.

Na capital pernambucana e em Olinda, principais focos da folia no Estado, essa taxa deve ficar próxima de 60%. Isso porque, com o cancelamento das festividades momescas, muitos turistas devem procurar destinos mais distantes da capital, como o Interior de Pernambuco e as praias do Litoral Sul.

Um dos destinos que devem receber mais turistas que o Recife neste ano é a cidade do Ipojuca, onde estão praias como Porto de Galinhas e Serrambi. No entanto, mesmo com o movimento mais intenso comparado à capital, as pousadas da região preveem uma queda de aproximadamente 30% na taxa de ocupação da capacidade permitida, quando levado em consideração o Carnaval 2020.

Segundo a conselheira da Associação Pousada Charmosa e sócia da pousada Anauí, Isabel Albuquerque, a situação tem se complicado ainda mais, pois com a indefinição da manutenção do feriadão em fevereiro, muitos clientes têm deixado para reservar as hospedagens próximo da data escolhida.

“Assim fica difícil até para fazermos estimativas para o Carnaval. Como a maior parte dos nossos hóspedes não depende mais de ponte área, porque não veem mais do exterior ou do Sul, mas de estados e cidades vizinhas, eles estão esperando a definição sobre o feriado para fechar as reservas. Por enquanto, só sabemos que o pessoal de Fortaleza não deve vir, porque lá não terá o feriado”, afirma Isabel.

O presidente da Abih-PE faz uma avaliação parecida. “As pessoas estão até fazendo o bloqueio ou pré-reserva, mas só devem fechar o negócio mais próximo, quando devemos ter certeza se vamos ter ou não feriado. Todo mundo está com as contas apertadas e ninguém quer perder dinheiro. Os clientes sabem que podemos parcelar o reembolso em dez vezes, caso seja preciso cancelar a reserva, e isso pesa na hora de reservar a hospedagem”, diz Eduardo Cavalcanti.

Aluguéis de temporada

Por outro lado, o aluguel de imóveis de temporada para o período do Carnaval no Estado não tem sofrido com a queda na procura, de acordo com o Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Pernambuco (Creci-PE).

Segundo o Creci-PE, o setor tem comemorado a performance das imobiliárias para o período carnavalesco, que já tem números que superam as expectativas, de acordo com a entidade. Caso não haja um avanço da covid-19, a estimativa é que haja um aumento ainda maior das reservas até o Sábado de Zé Pereira.

“Apesar da fase que atravessamos, vamos ter um Carnaval muito bacana e positivo, mesmo sem as festas. A gente esperava que o movimento caísse, mas aconteceu o inverso e o mercado está até mais aquecido. Tanto para locação, quanto para venda desde o início da pandemia”, diz o conselheiro do Creci-PE Harry Black.

O JC entrou em contato com as plataformas Booking e Airbnb, especializadas em reservas de temporada, mas, em função do cenário ainda instável da pandemia, as plataformas não estão divulgando dados de reservas ou buscas para datas futuras, visto que eventuais restrições e cancelamentos podem ocorrer até o período determinado.

Comentários

Últimas notícias