EMPREGOS E CARREIRAS

Veja onde encontrar vagas de emprego temporário em Pernambuco

De acordo com uma projeção da Asserttem, haverá um aumento de 20% nas contratações temporárias neste trimestre, o que representa a criação de cerca de 630 mil vagas

Marcelo Aprígio
Marcelo Aprígio
Publicado em 16/07/2021 às 7:30
Notícia
LEO MOTTA/ACERVO JC IMAGEM
Segundo a Asserttem, é preciso se cadastrar nos bancos das agências para aproveitar as oportunidades que são oferecidas na época de datas importantes para o comércio. - FOTO: LEO MOTTA/ACERVO JC IMAGEM
Leitura:

Em tempos de desemprego recorde, o trabalho temporário é uma excelente chance para quem procura novas oportunidades de voltar ao mercado. No entanto, essa busca não pode ficar para a última hora. É o que alerta a Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem). Segundo a entidade, é preciso se cadastrar nos bancos das agências para aproveitar as oportunidades que são oferecidas na época de datas importantes para o comércio.

"Ainda não temos estimativa do número de contratações para o final do ano, mas o próprio comportamento do mercado mostra que será igual ou até melhor do que o ano passado. Por isso, costumo dizer às pessoas que não fiquem esperando e já procurem se cadastrar nas empresas de trabalho temporário", explica o diretor regional da Asserttem, Cristian Giuriato.

Há empresas que selecionam para o trabalho temporário no estado de Pernambuco. Em alguns sites é possível conferir as vagas, requisitos e como se cadastrar para concorrer.

Onde encontrar trabalho temporário em PE?

Umana Brasil

Avenida Montevidéu n. 294
Bairro: Boa Vista - Recife - PE
Tel. 81.3139-4060
inforecifenorte@umanabrasil.com

Mazzini

Tel.: (81) 3034-1117
comercial.recife@mazzini.com.br
https://www.mazzini.com.br/2z-temporarios

Agência do Trabalho do Recife

Rua da Aurora, 425
Bairro: Boa Vista - Recife - PE
Telefone: (81) 3183-7028
https://www.seteq.pe.gov.br

630 mil vagas serão abertas

Tradicionalmente, o segundo semestre do ano é o período quando mais são realizadas contratações temporárias, tanto para o setor industrial, quanto para o comércio. Tanto é que em 2020, apesar dos severos efeitos da pandemia de covid-19 sobre a economia, os números de contratação temporária foram muito bons. E, para 2021, o setor prevê que isso tende a melhorar ainda mais.

De acordo com uma projeção da Asserttem, haverá um aumento de 20% nas contratações temporárias neste trimestre (julho, agosto e setembro) em comparação com o mesmo período em 2020, o que representa a criação de cerca de 630 mil vagas. No ano passado, o terceiro trimestre gerou 530.840 vagas temporárias.

"Se em 2020 a indústria foi quem puxou as contratações temporárias, neste segundo semestre de 2021 podemos destacar o papel do setor de serviços. Talvez este seja o ano deste setor, principalmente no que se refere aos serviços pessoais, como hotéis, empresas de aviação, salões de beleza, clínicas médicas", explica Marcos de Abreu, presidente da Asserttem.

Porém, Abreu lembra que o setor da indústria, principalmente a posição de auxiliar de produção, ainda segue com a maioria dos trabalhadores temporários. "O setor de serviços vem apresentando um crescimento maior nas contratações, mas não na totalidade das vagas", ressalta. Além disso, diferente do ano passado, o setor do comércio também pode surpreender assim que as pessoas voltarem a circular nos comércios de rua e shoppings, destaca Abreu.

O presidente da associação pondera que se trata de uma projeção e que os números podem oscilar, dependendo do desenrolar da pandemia. "O trabalho temporário é um fenômeno que vem crescendo em todo o mundo, não apenas no Brasil. Mas, diante das inseguranças que a pandemia ainda gera na economia, precisamos ser cautelosos. Mesmo assim, acreditamos em um crescimento", diz.

Como se preparar

Para aproveitar a oportunidade de voltar ao mercado, dar uma organizada no currículo para essas vagas é essencial, segundo especialistas. De acordo com Joebson Oliveira, consultor de recursos humanos e coordenador do Núcleo de Carreiras do Unit-PE, qualificações relacionadas a tecnologia, e-commerce e atendimento virtual devem ser priorizadas no currículo.

DIVULGAÇÃO
Joebson Oliveira, consultor de recursos humanos e coordenador do Núcleo de Carreiras do Unit-PE - DIVULGAÇÃO

Mas, antes de enviar o currículo, o candidato deve analisar se o seu perfil é compatível com a empresa e a função que será desempenhada. As vagas temporárias não exigem tantos requisitos quanto às oportunidades para cargos mais específicos. Por isso, o profissional tem maior liberdade para descobrir novas áreas e se desenvolver profissionalmente, aproveitando para ganhar aprendizado. “Por isso, é importante o candidato avaliar as suas próprias características e analisar em que funções gostaria de trabalhar”, orienta Joebson.

A especialista em marketing e recursos humanos Celiane Araujo, professora do UniFBV, alerta ainda sobre os cuidados nas mídias sociais. “Além do currículo, o recrutador irá recorrer à internet para obter mais informações, principalmente sobre comportamento. Atualmente, as redes sociais são filtros importantes”, diz.

Neste sentido, Joebson aconselha evitar comentários políticos e que envolvam assuntos polêmicos que possam levar ao questionamento da postura do candidato. Segundo ele, até mesmo um comentário “despretensioso” pode colocar tudo a perder.

O que é o trabalho temporário?

Na avaliação do advogado trabalhista Bruno Félix, do escritório GCFH Advogados Associados, antes de pensar em concorrer a alguma vaga de trabalho temporário, o profissional precisa entender as características dessa modalidade de serviço.

Segundo Bruno, o trabalho temporário é prestado por pessoa física contratada por uma empresa de trabalho temporário que a coloca à disposição de uma empresa tomadora de serviços ou cliente. “Essa contratação é somente para atender à necessidade de substituição transitória de pessoal permanente ou à demanda complementar de serviços”, explica o especialista.

DIVULGAÇÃO
Bruno Félix, advogado trabalhista e sócio do escritório GCFH Advogados - DIVULGAÇÃO

A duração do contrato de trabalho máxima é de até 180 dias, com a possibilidade de ser prorrogado uma única vez por até 90 dias corridos, independentemente de a prestação de serviço ocorrer em dias consecutivos ou não. “Isso indica que o prazo deve ser contado de forma corrida, considerando a contagem também dos intervalos contratuais, e não apenas considerando só os dias efetivamente trabalhados”, diz o advogado.

De acordo com ele, trabalhadores temporários têm direito ao 13º salário, férias proporcionais, Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS), horas extras e adicional noturno. “A diferença do contrato dessa modalidade é que o trabalhador temporário não tem direito a aviso prévio, seguro-desemprego e nem aos 40% da multa do FGTS. E não se aplica a estabilidade da gestante, por se tratar de uma contratação com prazo limitado”, explica.

DIVULGAÇÃO
Independentemente dos anos em que são realizados, os exames cobram os mesmos assuntos com certa frequência", afirma Joebson Oliveira, consultor de recursos humanos e coordenador do Núcleo de Carreiras do Unit-PE - FOTO:DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Bruno Félix, advogado trabalhista e sócio do escritório GCFH Advogados - FOTO:DIVULGAÇÃO

Comentários

Últimas notícias