Terceiro setor

Primeiro marketplace para doações exclusivas em produtos do Brasil é lançado no Recife

O 'Portal Solidário' se coloca como ''um novo jeito de doar" e aposta na transparência para incentivar a cultura de doação

JC
JC
Publicado em 01/12/2021 às 18:49
GABRIEL GALVÃO/DIVULGAÇÃO
Lançamento Portal Solidário - FOTO: GABRIEL GALVÃO/DIVULGAÇÃO
Leitura:

Foi lançado no Recife, na terça-feira (30), o Portal Solidário (www.portalsolidario.com.br) - primeiro marketplace do terceiro setor do Brasil com foco em doações exclusivamente de produtos e bens móveis para as instituições.

Os empresários e idealizadores do portal Maicon Oliveira, Mikael Oliveira e Maurício Soares explicaram o funcionamento da plataforma. “É um marketplace solidário, onde você doa o material que a entidade precisa, como cestas básicas, máscaras, alimentos, luvas, fraldas e ração para gatos e cachorros. Esse processo gera mais transparência, já que o doador sabe o que doou, quanto custou e que o produto foi entregue para a instituição”, explicou Maicon, CEO do Portal Solidário.

Segundo ele, cada ONG tem a sua própria loja dentro do Portal, com os itens dos quais necessita de doações. “Os produtos doados possuem preço de mercado, e não é cobrada taxa de entrega nem para quem doa e nem para quem recebe a doação”. A plataforma já conta com mais de 150 instituições pernambucanas do terceiro setor cadastradas, tendo a meta de alcançar todo o País.

“Como as doações feitas pelo nosso site são exclusivamente em produtos escolhidos pelo doador, não aceitamos valores em dinheiro, nossos usuários não têm desconfiança a respeito do destino da doação”, afirma o CEO do Portal Solidário. “Cada doação gera um código de rastreamento, permitindo que o doador acompanhe todo o processo até a entrega”, completou.

As organizações que recebem a doação estão isentas de pagamento de qualquer valor ou porcentagem em cima da doação, que é repassada para a instituição integralmente. “É fundamental garantir que as organizações da sociedade civil (OSC) tenham acesso ao maior volume de recursos possível, ainda mais neste momento de crise sanitária e financeira mundial em que as instituições tem passado por maiores dificuldades”, ressalta Maicon.

Lançamento

O lançamento do portal foi realizado no restaurante Spettus Boa Viagem e recebeu diversos nomes da sociedade pernambucana. O cantor Santanna, um dos convidados do evento destacou o potencial do Portal em criar uma corrente do bem, ajudando a milhares de pessoas.

GABRIEL GALVÃO/DIVULGAÇÃO
Lançamento Portal Solidário - GABRIEL GALVÃO/DIVULGAÇÃO
GABRIEL GALVÃO/DIVULGAÇÃO
Lançamento Portal Solidário - GABRIEL GALVÃO/DIVULGAÇÃO
GABRIEL GALVÃO/DIVULGAÇÃO
Lançamento Portal Solidário - GABRIEL GALVÃO/DIVULGAÇÃO
GABRIEL GALVÃO/DIVULGAÇÃO
Lançamento Portal Solidário - GABRIEL GALVÃO/DIVULGAÇÃO
GABRIEL GALVÃO/DIVULGAÇÃO
Lançamento Portal Solidário - GABRIEL GALVÃO/DIVULGAÇÃO
GABRIEL GALVÃO/DIVULGAÇÃO
Lançamento Portal Solidário - GABRIEL GALVÃO/DIVULGAÇÃO
GABRIEL GALVÃO/DIVULGAÇÃO
Lançamento Portal Solidário - GABRIEL GALVÃO/DIVULGAÇÃO

Além de Santanna, por lá circularam nomes como a Secretária Executiva de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Ana Paula Vilaça, o presidente da OAB-PE, Bruno Baptista, o presidente do Porto Digita, Pierre Lucena, a coordenadora do Transforma Recife, Marcela Baltar, o religioso Frei Damião Silva e artistas como Nena Queiroga, Cristina Amaral e Dudu do Acordeon.

Pandemia

O levantamento “Impacto da Covid-19 nas OSCs Brasileiras: da Resposta Imediata à Resiliência”, realizado por Mobiliza e ReosPartners, aponta que 87% das entidades tiveram todas ou partes de suas atividades regulares interrompidas ou suspensas por conta da crise.

O estudo ainda indica que 73% tiveram uma redução na captação de recursos, em contraste às notícias e registros de aumento dos recursos filantrópicos para enfrentamento dos efeitos da pandemia nas populações mais vulneráveis.

No entanto, as expectativas para o próximo ano são de melhorias. Entre as instituições do terceiro setor, 69% preveem um crescimento da “cultura de doação” no Brasil. “Isso é algo que queremos contribuir para fortalecer nas pessoas: a importância de doar, servindo como ponte entre quem quer ajudar e quem precisa de ajuda. Não só para manter as OSCs, mas para construir uma sociedade melhor”, explica Maicon Oliveira.

Comentários

Últimas notícias