Futebol pernambucano

Com férias dadas aos atletas, clubes de futebol vivem momento de incerteza pelo coronavírus

Equipes pernambucanas encaram período que trará mais instabilidade financeira ainda para eles, mas que não há escapatória

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 01/04/2020 às 7:02
Notícia
ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
clássico das Multidões entre Sport x Santa Cruz realizado na Ilha do Retiro em Recife, Pernambuco. Jogo valido pela Copa do Nordeste de futebol . - FOTO: ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Leitura:

A pandemia do novo coronavírus traz um cenário de incertezas ao futebol. Ainda sem se ter uma ideia de quando as atividades poderão ser retomadas, os clubes de futebol vão se mantendo da maneira que podem. A partir de hoje (1), diversos clubes pelo país estão dando férias para os atletas e comissões técnicas. Em Pernambuco, Sport e Náutico já fizeram esse acordo com o elenco, enquanto o Santa Cruz ainda avalia o cenário, já que vive uma situação diferente por não possuir cotas televisivas para a disputa da Série C. Um terreno novo, onde ninguém sabe onde está pisando, e que requer muita cautela para que os danos sejam os menores possíveis após atravessá-lo.

Férias coletivas

O Sport e o Náutico já fizeram o acordo com seus atletas e comissão técnica. O Rubro-negro dará 20 dias de férias, enquanto o Alvirrubro 15, prorrogáveis pelo mesmo período caso a pandemia persista. O Tricolor ainda busca receitas para quitar os débitos do mês de março do clube antes de negociar as férias dos atletas. Mas a comunicação vem sendo mantida entre os dois lados. Um acerto já havia sido feito entre a grande parte dos clubes das quatro divisões nacionais e seus atletas sobre essa pausa. Apesar de um acordo coletivo ter sido feito decidindo pelos 20 dias agora em abril e mais 10 entre o fim de 2020 e começo de 2021, algumas equipes (como o Náutico) chegaram a um acordo individual com seus atletas.

Cortes nos salários

Entre as equipes, apenas o Náutico já chegou a um acerto quanto a redução salarial dos seus jogadores. Ao todo, será uma diminuição de 25% do salário global, sendo descontada diretamente dos direitos de imagem.Por outro lado, Sport e Santa ainda buscam um denominador comum e as negociações devem prosseguir por mais tempo, ainda mais porque ambos possuem atrasos com atletas e comissão técnica.

Os 25% de corte foi o valor acordado entre a Comissão Nacional de Clubes (CNC) e a Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf) quanto a paralisação do esporte. Anteriormente, a CNC queria 50% na redução salarial e suspensão do contrato caso a pausa durasse mais de um mês.

Cotas dos Estaduais

Outra pauta que tem gerado receio nos clubes de menor porte, principalmente, é a possibilidade da suspensão do pagamento das cotas de televisionamento dos campeonatos estaduais por parte da televisão detentora dos direitos de transmissão. Isso porque as competições estão paralisadas e existe uma grande dúvida sobre a continuidade dos torneios por conta do aperto no calendário do futebol brasileiro.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias