DESPEDIDA DA BOMBONERA

Última vez de Maradona na Bombonera teve selinho do craque em Tevez e Boca Juniors campeão

Última vez de Maradona na Bombonera foi no dia 7 de março e teve histórias fantásticas

Lucas Holanda
Lucas Holanda
Publicado em 26/11/2020 às 15:14
Notícia

REPRODUÇÃO/ TWITTER
Maradona e Tevez deram um selinho antes do jogo do Boca Juniors x Gimnasia - FOTO: REPRODUÇÃO/ TWITTER
Leitura:

O maior jogador argentino de todos os tempos se foi. Maradona faleceu e deixa um legado que poucos conseguiram na história do futebol. Entre as diversas homenagens ao Dios, podemos relembrar de um dos momentos mais bonitos de 2020 - e que certamente ficará eternizado. No dia 7 de março de 2020, o Boca Juniors sagrou-se campeão argentino. O clube conseguiu esse feito diante do Gimnasia La Plata, equipe que era comandada justamente por Maradona - no retorno do ídolo ao estádio La Bombonera enfrentando o Boca como treinador, algo que não acontecia desde a primeira vez 1995, quando ele comandava o Racing.

Essa partida tem vários pontos que tornam ela especial. Primeiro: foi o último jogo do Boca Juniors com torcida, já que a pandemia do novo coronavírus impactou o mundo todo dias depois. Segundo: o retorno de Maradona a um local em que ele foi gênio. Tanto que acabou sendo bastante homenageado pelos torcedores do Boca Juniors - por mais que, teoricamente, fosse um adversário. Só que ele jamais foi considerado um rival, mas sim uma divindade para uma legião de apaixonados pelo clube mais popular da Argentina.

Maradona foi aplaudido e homenageado por todos desde que botou o pé no sagrado gramado da Bombonera. Cânticos, bandeiras e gritos para um dos maiores jogadores da história do Boca Juniors - por mais que estivesse do outro lado naquele momento. Além disso, um momento especial com outro ídolo do clube: o beijo em Carlitos Tevez, que estava em campo em busca de dar o título ao Boca. Na hora do cumprimento, Maradona cumpriu a promessa que tinha feito antes da partida de que daria um beijo no atacante. "Que Carlitos se prepare, porque eu vou dar um selinho de arrasar", afirmou em entrevista à Tyc Sports.

O beijo deu sorte para Tevez e o Boca Juniors. Quando a bola rolou, a equipe derrotou o Gimnasia La Plata por 1x0, justamente com gol do atacante. Com o tropeço do River Plate diante do Atlético Tucumán, ficando no 1x1, o Boca sagrou-se campeão argentino, num duelo que teve contextos incríveis, desde a presença de Maradona na Bombonera até o a consagração de Tevez, que também é um dos maiores ídolos da história do clube argentino. Além disso, também foi um troféu de despedida da torcida, já que a pandemia acabou paralisando o futebol e, quando o esporte retornou, ainda segue sem público.

A relação de Tevez com Maradona é uma das mais bonitas do futebol. Carlitos considera Diego como um segundo pai, e por isso tanto respeito e admiração ao lendário camisa 10. Além disso, também foram garotos de bairros pobres de Buenos Aires, e que se tornaram ídolos do futebol e, claro, do clube mais popular da Argentina, o Boca Juniors. Abaixo, uma homenagem que Tevez fez para Maradona quando o craque completou 60 anos, no mês passado.

 

 

 

 

Comentários

Últimas notícias