Olimpíada

Pelo menos quatro pernambucanos devem estar nos Jogos de Tóquio

Pernambucanos podem garantir vagas ainda no atletismo

Luana Ponsoni
Luana Ponsoni
Publicado em 21/01/2021 às 10:29
Notícia

Divulgação
Goleira pernambucana Bárbara foi um dos destaques da seleção brasileira na Copa América de 2018 - FOTO: Divulgação
Leitura:

Com a proximidade dos Jogos Olímpicos de Tóquio, mesmo em meio ao clima de incertezas gerado pela pandemia do coronavírus, cresce a expectativa de saber quem serão os atletas de Pernambuco que estarão representando o Brasil no maior evento poliesportivo do planeta. A pouco mais de seis meses da Olimpíada, entre 23 de julho a 8 de agosto, pelo menos quatro atletas pernambucanos devem estar no torneio. Todos mulheres. Erica Sena, da marcha atlética, foi a primeira brasileira do atletismo a se classificar aos Jogos. As demais são a goleira Bárbara, da seleção brasileira de futebol, a goleira Renata Arruda, da equipe de handebol do País e a jogadora de rugby Cláudia Teles.

 

Enquanto Erica Sena já pode dar como certa a presença em Tóquio por ter feito o índice exigido pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), as demais ainda aguardam as convocações oficiais de seus treinadores para o evento poliesportivo. Mas, para algumas, esse momento deve ser apenas uma formalidade, já que participaram de eventos importante que garantiram as seleções nacionais na Olimpíada.

A goleira Bárbara foi a titular da equipe nacional que "carimbou o passaporte" para Tóquio depois de conquistar a Copa América de 2018. Já a também goleira de handebol Renata Arruda chamou atenção do mundo ao substituir a experiente companheira de equipe Babi e ajudar o Brasil a derrotar a Argentina na final dos Jogos Pan-Americanos de Lima em 2019. O título deu vaga ao País na Olimpíada. 

Já Cláudia Teles "corre por fora". Ela ficou ausente da lista convocada pelo técnico Ruben Samuel para o Pré-Olímpico de Lima, em junho de 2019. As Yaras venceram a competição e se classificaram a Tóquio. A jogadora esteve com o Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, ajudou o País a conquistar o inédito bronze no Pan de Toronto-2015 e coleciona muitas participações em competições internacionais com a seleção. É atleta do clube carioca Niterói e tem a velocidade, capacidade física desenvolvida quando era atleta de atletismo, como grande diferencial.

OUTROS PERNAMBUCANOS 

 

AFP
Wagner Domingos levou o Brasil à final do lançamento do martelo na Rio-2016 - AFP

Pernambuco pode ter atletas nos Jogos de Tóquio oriundos ainda do atletismo. Representantes do País na Rio-2016, o lançador do martelo Wagner Domingos e a saltadora Keila Costa ainda precisam obter os índices determinados pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) e validados pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).

Os conterrâneos são vice-líderes de suas respectivas provas no ranking brasileiro. Wagner está atrás de Allan da Silva, que tem a marca de 70,94m, com 70,39m. O índice olímpico do martelo é de 77,50m.

Especialista nos saltos triplo e em distância, Keila Costa é a segunda colocada na primeira especialidade, liderada por Elaine Martins, com 6,49m. A pernambucana tem como melhor marca 6,39m. Já na distância, ela aparece atrás de Gabriele Souza (14,17), com 13,92. O índice olímpico no salto triplo é de 14,32m e no salto em distância 6,82m.


 

Comentários

Últimas notícias