TÓQUIO 2020

Ciclismo de estrada: holandesa comemorou prata como se fosse ouro por engano

Erro na comemoração foi causado pela falha de comunicação entre a ciclista e sua equipe

AFP
AFP
Publicado em 25/07/2021 às 11:12
Notícia
MICHAEL STEELE / POOL / AFP
Prata no ciclismo, a holandesa Annemiek van Vleuten comemorou o Ouro por engano - FOTO: MICHAEL STEELE / POOL / AFP
Leitura:

A holandesa Annemiek van Vleuten comemorou o segundo lugar na prova de ciclismo de estrada neste domingo como se fosse campeã olímpica, depois de cruzar a linha um minuto atrás da vencedora, um erro que ela atribuiu à falta de rádio para se comunicar com sua equipe.

Ao se aproximar da linha de chegada do circuito do Monte Fuji, a holandesa de 38 anos ergueu os braços em um gesto habitual de triunfo. Demorou alguns segundos para que ela entendesse que a austríaca Anna Kiesenhofer, líder desde a largada, já havia comemorado o ouro um minuto e 15 segundos antes dela.

"Houve muita confusão e falta de comunicação hoje", lamentou Van Vleuten, visivelmente frustrada. "Não sabíamos quais eram as diferenças, ouvimos dizer que tinha 45 segundos a 10 quilômetros da chegada", acrescentou, no momento em que a líder estava então mais de dois minutos à frente.

Grande potência do ciclismo feminino, a Holanda havia conquistado as duas últimas medalhas de ouro, em Londres-2012 e Rio-2016, e os últimos quatro títulos mundiais da prova.

A surpreendente vencedora do ouro, Kiesenhofer, deixou o pelotão para trás nos primeiros quilômetros da prova, em um grupo de oito ciclistas que parecia destinado apenas a dar mais emoção à jornada.

Mas as favoritas deixaram muita margem para o grupo, que chegou a ter 10 minutos de vantagem na altura do porto de Kagosaka.

Uma a uma, as companheiras do pelotão da austríaca foram perdendo ritmo e Kiesenhofer ficou sozinha a 30 quilômetros da linha de chegada e assim conquistou o ouro.

2ª decepção de Van Vleuten

"Eu planejava atacar desde o quilômetro zero e estou feliz por ter chegado. Estou feliz porque não tive medo, só fui atrás do objetivo", disse a vencedora.

"É uma das corridas mais importantes e não temos o direito de utilizar os meios habituais de comunicação", lamentou Van Vleuten sobre a proibição da comunicação por rádio nos eventos olímpicos: "O objetivo é tornar as corridas mais interessantes, mas isso as torna mais confusas".

Esta é a primeira medalha olímpica de Van Vleuten, que viveu um drama na Rio-2016.

Na prova olímpica realizada há cinco anos ela estava em primeiro lugar e perto da medalha de ouro, mas sofreu uma queda muito forte na última descida, a 10 quilômetros da linha de chegada. A holandesa ficou inconsciente por alguns segundos, após sofrer uma concussão e uma fratura de três vértebras. Os serviços de resgate chegaram a temer por sua vida.

Comentários

Últimas notícias