redes sociais

Dois modos distintos de lidar com as redes sociais; veja comportamentos diferentes de Douglas Souza e Thalles, da seleção de vôlei do Brasil

Douglas e Thales têm posturas diferentes nas redes sociais.

Haim Ferreira
Haim Ferreira
Publicado em 31/07/2021 às 19:36
Notícia
COB
Douglas Souza pulou de 250 mil para 3 milhões de seguidores no Instagram durante as Olimpíadas. - FOTO: COB
Leitura:

Atual campeão da Liga das Nações e já garantido nas quartas de final das Olimpíadas de Tóquio, o vôlei masculino do Brasil vive um grande momento. Podendo pegar carona no sucesso, dois jogadores do elenco do técnico Renan Dal Zotto vivem momento de ambiguidade nas redes sociais.

Enquanto o ponteiro Douglas Souza atingiu a marca de três milhões de seguidores no Instagram, o líbero Thales vive de maneira mais reservada, sem usar nenhuma rede social.

Douglas Souza, do vôlei do Brasil, atinge grande marca nas redes sociais; veja

Entenda por que o jogador Lucão usa máscara durante os jogos da Seleção Brasileira de Vôlei nas Olimpíadas de Tóquio

Saiba quem é Yoandy Leal, o primeiro estrangeiro a defender o Brasil no vôlei

Douglas viralizou antes mesmo do início dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Tanto que existiu uma grande onda virtual para que ele participasse da próxima edição do Big Brother Brasil. Tanto que a ideia foi endossada em rede nacional pelo narrador Galvão Bueno na TV Globo. Diante de tamanha repercussão, o diretor do BBB, Boninho, acenou positivamente para a ideia em publicação na conta pessoal no Instragram. 

Antes dos jogos começarem, ele tinha apenas 250 mil seguidores. Douglas viralizou na internet mostrando os bastidores da vila olímpica de uma maneira despojada. 

"Dentro desses conteúdos sobre a Olimpíada, sempre tem um ou dois que disparam. O Douglas é diferente dos outros por estar lá dentro, ele consegue gerar gatilhos nas pessoas sobre exclusividade, curiosidade e escassez. A personalidade também é atrativa. Ele é engraçado, então já mostra de uma maneira diferente, não é aquela maneira institucional. Todas essas características vão se juntando e fazendo esse fenômeno acontecer. Se ganhar 500 mil seguidores em poucas horas não for um fenômeno, não sei mais o que é", comentou Pedro Valério, especialista em conteúdo estratégico e CEO da agência Allfluence.

Já Thales vai na contramão. Ele não tem conta em nenhuma rede social existente, o único atleta de toda delegação do Brasil a se abster da internet. Segundo o líbero, é uma questão de perfil.

"Não sei, eu sou um cara mais quieto e mais família. Eu me preocupo com meus filhos e com a minha esposa. Tenho meus joguinhos que me distraem no celular. A rede social não é o meu forte, não tenho essa atração. Bastante gente se incomoda, mas eu só não curto muito. Não tem um motivo, sou meio velho. É cabeça de velho", afirmou.

Nas poucas vezes que Thales apareceu nas redes sociais nessas Olimpíadas foi justamente no Instagram de Douglas. "Me acompanham só pelo Instagram dos outros. Lucarelli faz bastante story, me mostrou no meu vício no computador. Douglas também. Eu prefiro assim, está dando certo" disse Thales.

O Brasil volta à quadra neste sábado, às 23h05 (horário de Brasília), contra a França, na última partida da fase de classificação. A seleção ainda busca a liderança do grupo B da competição, que hoje é do Comitê Russo.

Comentários

Últimas notícias