DEMISSÃO

Em áudio vazado, diretor do Minas Tênis Clube nega homofobia de Maurício e revela motivo da demissão; confira

O jogador teve o contrato rescindido na semana passada, depois que uma postagem com teor homofóbico teve grande repercussão negativa

Carolina Fonsêca
Cadastrado por
Carolina Fonsêca
Publicado em 01/11/2021 às 13:19
REPRODUÇÃO/TIME MINAS TÊNIS CLUBE
Maurício é conhecido por ter um perfil conservador e apoiador do presidente Jair Bolsonaro. - FOTO: REPRODUÇÃO/TIME MINAS TÊNIS CLUBE
Leitura:

Elói Lacerda de Oliveira Neto, diretor de vôlei masculino do Minas Tênis Clube, disse que só demitiu o central Maurício Souza para proteger o clube e o atleta de perseguição, segundo o colunista Demétrio Vecchioli do portal UOL. A informação foi obtida a partir de um arquivo de áudio vazado, cuja autoria foi confirmada pelo portal. O áudio, porém, não foi publicado. 

>> Entenda o caso de Maurício Souza, o jogador de vôlei que foi demitido do 'Minas Tênis Clube' 

>> Maurício Souza: 'Não vou mudar', diz ex-Minas, anunciando que irá para nova equipe 'daqui a alguns dias'

No áudio, Elói disse também que o contrato de Maurício foi pago integralmente até maio do ano que vem, que a demissão aconteceu após "uma semana apanhando da imprensa e da comunidade LGBT" e porque o clube não teve apoio para manter o atleta.

>> Vídeo: Diego Hypólito comenta caso Maurício Souza: "Não consigo entender!"

>> Maurício Souza vai processar a Globo, Felipe Andreoli e Walter Casagrande

>> Sócios do Minas protestam na sede do clube contra a demissão de Maurício Souza

>> Jair Bolsonaro ironiza homofobia e sai em defesa de Maurício Souza

Maurício teve o contrato rescindido na semana passada, depois que um post feito por ele nas redes sociais, com teor homofóbico, teve grande repercussão negativa. O clube foi cobrado por patrocinadores para que tomasse "medidas cabíveis" e, depois de afastar o atleta, acabou demitindo.

"Fui eu que dispensei o Maurício, tá? Tá todo mundo vindo bater, mas as pessoas deixaram o Minas desamparado. Durante uma semana apanhando da imprensa, da comunidade LGBT. Fomos obrigados a dispensar o Maurício, se não ele seria destruído. Pagamos o contrato integral até maio, não ficou desamparado. Fizemos porque não tivemos apoio", disse.

O diretor também disse que a comunidade LGBTQIA+ é "radical". "Temos que ser proativos. Essas comunidades radicais elas são ativas. Eles foram na presidência da Melitta na Alemanha, na Fiat na Itália, e nós ficamos literalmente rendidos. Havia milhares de manifestações contra Minas, contra Maurício. Ele não foi mandado porque é homofóbico, ele não é homofóbico. A declaração dele é pessoal dele. Ele foi mandado embora para a proteção dele e para a proteção do Minas", afirmou.

Entenda o caso

Há cerca de duas semanas, a DC Comics informou que o novo Superman, filho de Clark Kent, seria bissexual. Maurício então fez uma postagem em sua conta pessoal no Instagram criticando a decisão da DC. "A é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar... (Sic)", escreveu o jogador na publicação.

>> Novo "Superman" adolescente assume ser bissexual em HQ da DC Comics

O post de Maurício teve grande repercussão, tanto negativa quanto em apoio a ele. Entre os nomes que reprovaram o comentário, estava o ponteiro Douglas Souza, companheiro de Maurício na seleção brasileira. Douglas, que é gay, postou na rede social a mesma imagem que Maurício Souza e afirmou: "Se uma imagem como essa te preocupa, sinto muito, mas eu tenho uma novidade pra sua heterossexualidade frágil".

Ao longo das últimas duas semanas, Maurício fez uma postagem sem mencionar Douglas, mas que parecia ser para o ponteiro, já que dizia na legenda: "Pra cima de mim, não! Aqui é frágil igual esticador de canto de cerca!". O central fez ainda uma postagem com teor transfóbico. Maurício é conhecido por ter um perfil conservador e apoiador do presidente Jair Bolsonaro.

> Quem será o primeiro 'Superman' negro? Produção com Michael B. Jordan foi aprovada pelo HBO Max

Na última segunda-feira (25), o Minas Tênis Clube se manifestou afirmando que respeita a opinião de cada atleta, mas não aceita manifestações homofóbicas de jogadores que vestem a camisa do clube. Nesta terça-feira (26), o afastamento do jogador foi anunciado. 

 

 

Comentários

Últimas notícias