MOMENTO RUIM

Goleiro do Náutico admite momento ruim: "estamos devendo"

Náutico enfrenta o CRB neste sábado (15) pela terceira rodada da Série B

Lucas Holanda
Lucas Holanda
Publicado em 14/08/2020 às 9:58
Notícia

CAIO FALCÃO/CNC
Jefferson destacou que o jogo contra o CRB pode mudar o momento do time em caso de vitória. - FOTO: CAIO FALCÃO/CNC
Leitura:

O Náutico não vence há três jogos - um pelo estadual e dois na segunda divisão. Na Série B, perdeu a primeira e empatou a segunda - em casa. Resultados que culminaram na saída de Gilmar Dal Pozzo do comando do time, embora o clube ainda não tenha oficializado a saída. E o elenco alvirrubro sabe que está devendo. E o goleiro Jefferson vê no duelo deste sábado (15) contra o CRB uma boa oportunidade para o clube virar a chave da melhor forma: vencendo e também tendo uma boa atuação.

"Creio que não seja jogo de vida ou morte até porque estamos no início da competição. Mas temos total ciência de que estamos devendo, principalmente num jogo em casa. Em um campeonato difícil como a Série B, precisamos pontuar o máximo possível em casa, principalmente no primeiro turno. Creio que com uma vitória diante do CRB, fazendo um grande jogo, vamos levantar mais o astral do grupo e fortalecer mais como equipe", disse o goleiro titular do Náutico, mirando uma tranquilidade para a sequência da competição.

"Não acredito que seja jogo de vida ou morte, mas que vai dar sim uma tranquilidade para a sequência da competição e a gente conseguir essas primeira vitória para se deus quiser a gente conseguir uma sequência e no final da competição conseguir nosso objetivo", finalizou.

SEM PÚBLICO

Com relação aos jogos sem público, Jefferson disse que é uma sensação estranha, mas destacou que é o momento de se adaptar, pois é uma medida necessária para o momento de pandemia do novo coronavírus e também afeta todo mundo. "É estranho. A gente está acostumado a ter o calor do nosso torcedor, a avenida alvirrubra na chegada do estádio. A gente sente falta, mas é o que o futebol proporciona hoje, não só para o Náutico, mas para todas as equipes e a gente tem que se adaptar. Mas deu para ouvir alguns torcedores que moram ao lado dos Aflitos dando aquele apoio", disse Jefferson, que completa valorizando esse carinho do torcedor que mora ao lado do estádio alvirrubro.

"Então acho que poucos estádios no Brasil vão ter essa particularidade que tivemos. Mesmo que em pequeno número, dá para sentir o carinho que o torcedor passa e a energia positiva. Mas a gente tem que se adaptar e nas próximas rodadas, mesmo longe deles, conseguir pontuar e conseguir as vitórias", finalizou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias