Bom pagador

Náutico vai quitando dívidas em 2020 e planeja apresentar dados ao torcedor

Alvirrubro planeja prestação de contas para mostrar destino das verbas no pagamento de dívidas

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 30/10/2020 às 8:02
Notícia

Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Náutico vai, aos poucos, quitando dívidas e amenizando o aperto financeiro no clube - FOTO: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Leitura:

O Náutico vai saindo de um ano difícil na questão financeira, por conta da pandemia, com um saldo positivo. Vindo de queda de receitas, o clube tem honrado os compromissos internos com funcionários e atletas, e também consegue pagar as dívidas trabalhistas. Um exemplo disso é que, somente neste ano, o clube conseguiu quitar três grandes ações que, juntas, somavam R$ 1,9 milhão. A do atacante uruguaio Olivera, do técnico Milton Cruz e seu auxiliar Ivan Izzo, além do volante Derley. Além dessas, há outras de menor valor que também estão sendo pagas e outras que chegaram ou estão chegando a um acordo, como o do goleiro Ricardo Berna, que cobra aproximadamente R$ 2,5 milhões na Justiça, e do técnico Givanildo Oliveira, em torno de R$ 500 mil.

A intenção da direção do clube é de, no fim de novembro, publicar um levantamento para torcida do Náutico tomar conhecimento do destino de verbas que estão pagando ações trabalhistas e cíveis. É praticamente uma prestação de contas de quanto já se pagou e quanto segue sendo quitado pelo Alvirrubro.

 

“A gente está fazendo um levantamento e espero agora no final de novembro, daqui a 30 dias mais ou menos, estar com esse levantamento pronto, planilha, e aí passar esses números para o associado, para a torcida e imprensa, do quanto essa gestão já conseguiu amortizar essas dívidas”, contou o vice-presidente jurídico do Náutico, Bruno Becker.

Ainda assim, o clube convive com várias tentativas de leilão de seus bens, como a garagem do remo, na Rua da Aurora, bairro de Santo Amaro, no Recife, e do terreno da Avenida Rosa e Silva, bairro dos Aflitos, onde a sede alvirrubra se localiza. No mês de outubro, seis tentativas de penhora foram adiadas ou chegaram a um acordo. Porém, a sombra de cobranças milionárias, como a dos volantes Martinez e Auremir, e do zagueiro Jean Rolt, que juntos chegam a praticamente R$ 10 milhões, ainda assombram o Náutico. A de Martinez, que defendeu o Alvirrubro entre 2012 e 2013, ultrapassa os R$ 3,3 milhões e teve a execução do leilão adiada. Inclusive, esse é o principal foco do Timbu a resolver nos próximos meses para conseguir manter a posse do imóvel.

“A gente está trabalhando, tentando fazer uma engenharia financeira para resolver o processo de Martinez. Existem outros processos menores que a gente sempre trabalha neles tentando acordo. E quando chegamos num consenso, se faz. Mas o desafio maior nesses meses de novembro e dezembro é de fazer um acordo com Martinez”, concluiu Bruno Becker.

Seja um assinante JC.

Assine o JC com planos a partir de R$ 1,90 e tenha acesso ilimitado a todo o conteúdo do jc.com.br, à edição digital do JC Impresso e ao JC Clube, nosso clube de vantagens e descontos que conta com dezenas de parceiros.

Assine o JC

Comentários

Últimas notícias