Série B

Para Jean Carlos, o Náutico precisa ''rever muitas coisas'' para conseguir o acesso na próxima temporada

O Náutico conseguiu garantir a permanência na Série B do Campeonato Brasileiro, após empate fora de casa com o Cruzeiro

Cássio Oliveira
Cássio Oliveira
Publicado em 25/01/2021 às 7:06
ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Jean Carlos, jogador do Náutico - FOTO: ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Leitura:

Capitão do Náutico, o meia Jean Carlos comemorou a permanência do clube na Série B, mas disse que a equipe não poderia ter chegado a essa situação, de luta contra o rebaixamento. O Náutico só conseguiu afastar de vez as chances de queda nesse domingo (24), quando empatou com o Cruzeiro em 0x0, na Arena Independência, em Belo Horizonte (MG).

>> Náutico empata com Cruzeiro fora de casa e garante permanência na Série B

>> ''O Náutico não podia ir para Série C'', diz Hélio dos Anjos após manter o Timbu na Segundona

"Sabemos que o Náutico é um clube de camisa, assumimos a responsabilidade, não poderíamos estar nesta situação, brigando na penúltima rodada para não sermos rebaixados. Então, devemos repensar muitas coisas. Mas, houve coisas boas, a chegada do Hélio dos Anjos nos ajudou bastante, tínhamos grandes chances de rebaixamento para a Série C, mas com trabalho, determinação e confiança, conseguimos nos manter. Então é agradecer ao grupo, a temporada já está aí é planejar para conseguir o acesso para a Série A", comentou o Jean Carlos em entrevista à Rede Globo.

Hélio dos Anjos

O Náutico ainda tem um jogo para finalizar sua participação na temporada. Na próxima sexta-feira (29), o Timbu encara o CSA, nos Aflitos, às 21h30. O treinador Hélio dos Anjos já garantiu que vai jogar para vencer, mesmo que o jogo sirva apenas para o cumprimento da tabela. "Não será um jogo amistoso, queremos buscar a vitória e buscar manter o nível de atuação dentro de casa. Quem jogar contra o Náutico vai precisa trabalhar muito", afirmou o técnico.

Hélio dos Anjos também destacou a permanência do Timbu na Série B. "Fomos contratados e minha reação era de acreditar no objetivo. Disse em minha primeira entrevista que o Náutico não cairia e essa é a postura de quem comanda, de quem lidera. Tive apoio grande, fui muito bem recebido e isso ajudou muito. Houve um apoio incondicional da comissão técnica do cube, dos funcionários. Uma direção presente, sempre do nosso lado e os jogadores responsáveis por tudo. Agradeço publicamente aos jogadores por terem acreditado", afirmou o treinador alvirrubro.

Após ser campeão da Série C do Campeonato Brasileiro em 2019, o Náutico entrou em 2020 como um dos times que brigaria pelo acesso à Série A. No entanto, o buraco era mais embaixo e a temporada foi difícil para o time alvirrubro, tanto que o Náutico só conseguiu a primeira vitória na Série B na sexta rodada da competição, após 2x1, contra o Guarani.

O time ainda perdeu o técnico Gilmar Dal Pozzo, contratou Gilson Kleina, que não conseguiu bons números e foi demitido após o Náutico ficar no Z4 - a oito pontos de distância do primeiro time fora da zona da degola. Neste cenário turbulento, que Hélio dos Anjos assumiu o time, em novembro do ano passado. Ele estreou na 22º rodada com derrota para o CRB, em seguida empatou com o Vitória, e perdeu para o Juventude. As coisas pareciam seguir o rumo do rebaixamento, mas uma série de vitórias em casa salvou o Timbu.

Com o objetivo alcançado, o futuro bate à porta e depois do jogo contra o Cruzeiro, Hélio já foi questionado sobrea continuidade nos Aflitos. "A primeira relação com o Náutico foi evitar o rebaixamento. Agora, as reações são da direção, não podem ser minhas. Tenho mais um jogo e depois a direção que tem de tomar a decisão em relação ao projeto do Náutico", comentou Hélio dos Anjos, que já comandou o Náutico em 1993 e em 2006, quando conseguiu o acesso à primeira divisão.

Comentários

Últimas notícias