eleição coral

Tonico Araújo afirma que alteração na chapa é permitida no estatuto do Santa Cruz e alfineta oposição

O atual vice-presidente tricolor afirmou que o grupo da oposição "não conhece o atual estatuto do clube", apesar de pedir muito a mudança dele

Carolina Fonsêca
Carolina Fonsêca
Publicado em 29/01/2021 às 13:27
RAFAEL MELO/SANTA CRUZ
Tonico Araújo era o principal articulador da antiga situação tricolor - FOTO: RAFAEL MELO/SANTA CRUZ
Leitura:

Depois de anunciar uma mudança na chapa que disputará a eleição do Santa Cruz, na última quinta-feira (28), o grupo da situação tricolor defende que a mudança é legal e permitida pelo estatuto do clube. O Pró Santa, grupo da oposição, apresentou-se na contramão desta afirmação e prometeu, também na quinta-feira, entrar com um pedido de impugnação contra a chapa que agora passará a ser encabeçada por Roberto Freire. Em entrevista a Ralph de Carvalho, no programa Bate-rebate da Rádio Jornal, na manhã desta sexta-feira (29), o atual vice-presidente do clube, Tonico Araújo, repetiu que a troca de nomes mesmo depois da chapa inscrita é permitida e alfinetou a oposição: "A oposição que tanto fala em reforma do estatuto, não conhece nem o atual estatuto", disse. 

>> Grupo da oposição do Santa Cruz vai entrar com pedido de impugnação da chapa da situação

>> Após mudança na chapa de situação, Roberto Freire é o novo candidato a presidente do Santa Cruz

A troca do nome de Osmundo Bezerra pelo de Roberto Freire foi anunciada 48 horas após a inscrição da chapa - o ex-candidato a presidente passou a ser o candidato a vida. Paulo Borba, atual comandante do Conselho Deliberativo, tentará a reeleição. O candidato ao órgão era Sérgio Goiano. Na Comissão Patrimonial, Francisco Buarque segue como postulante a liderar o "terceiro" poder do Tricolor do Arruda.

A mudança, segundo Tonico Araújo, se deu por causa de uma movimentação de uma ala mais jovem da situação, encabeçada por Bruno Rêgo e outros nomes. Ainda de acordo com Tonico, o nome de Freire era o preferido, mas ele havia declinado por questões familiares e só foi convencido a aceitar depois que a chapa original estava inscrita. "Política é um processo de negociação. Roberto Freire sempre foi o sumo de desejo do grupo, principalmente do grupo jovem", disse. "Ele aceitou e nós fizemos as devidas alterações, em um gesto muito bonito de Osmundo, que cedeu o lugar dele, tendo em vista que Roberto Freire tem uma experiência muito grande com relação a toda engenharia financeira do Santa Cruz. No começo da gestão (atual), pegou um clube com 185 funcionários e hoje tem aproximadamente 100 funcionários. Equalizou todo os débitos do Santa Cruz, apesar da crise o clube vai terminar essa gestão sem dever a funcionários, jogadores, comissão técnica, moradia e todas aquelas despesas correntes vão ficar normalizadas", garantiu. 

Quanto à movimentação do lado oposto, o atual vice-presidente tricolor alfinetou. "A oposição só tem um único discurso, 'reforma do estatuto, reforma do estatuto'. A oposição que tanto fala em reforma do estatuto não conhece nem o atual estatuto, porque é permitido sim (a troca de nomes). Nós não íamos fazer uma loucura dessa e fazer uma alteração sem poder", afirmou. "Agora deixa eles quebrarem a cabeça, pelo menos ler o estatuto para que não fique falando contra o Santa Cruz. Não tente ganhar a eleição no tapete. Vamos ouvir a expressão da torcida, de quem vota. Ficar fazendo apelo, difamando a imagem do Santa Cruz, dizendo que está fazendo falcatrua, que não pode haver alteração. Está claro no estatuto isso", completou. 

Comentários

Últimas notícias