DEDO DO TREINADOR

Da organização coletiva à competitividade: efeito Jair Ventura ressurge o Sport na Série A

Treinador assumiu o Sport com o Leão afundado em problemas, mas fez o time rubro-negro reagir na Série A

Lucas Holanda
Lucas Holanda
Publicado em 14/09/2020 às 15:11
Notícia

ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
DESEMPENHO Jair Ventura tem duas vitórias e duas derrotas com o Sport, além de um empate - FOTO: ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Leitura:

Quando o Sport demitiu Daniel Paulista e apostou em Jair Ventura, a expectativa do Rubro-Negro era que o novo técnico trouxesse um estilo de jogo mais reativo, com foco na organização tática e elevasse o nível de competitividade do Leão. E o comandante vem tendo sucesso nesse início no time. Nos cinco primeiros jogos do treinador, sendo quatro deles fora de casa, a equipe leonina conseguiu sete dos 15 pontos disputados na Série A, desempenho que fez o Sport ressurgir na competição e deixar a zona de rebaixamento - está dois pontos acima do 'líder do Z4', que é o Botafogo.

Mesmo com algumas lacunas no elenco e com falhas individuais na maioria das partidas, Jair Ventura revigorou o coletivo do Sport e deixou a equipe competitiva, seja contra times do mesmo nível ou até acima - vide duelos diante do Grêmio e Palmeiras. Com esse desempenho, o comandante já virou xodó da torcida rubro-negra, que aproveitou o momento para exaltar o "Venturismo", como uma forma de exaltar o trabalho do técnico até aqui. Algo que também é visto com os torcedores do Vasco, que falam do "Ramonismo" ao elogiarem o treinador Ramon Menezes, pilar da boa campanha do clube carioca.

ORGANIZAÇÃO TÁTICA

Nos cinco primeiros jogos do Sport com o técnico Daniel Paulista, o Rubro-Negro até apresentou teve bom desempenho em alguns recortes das partidas. No entanto, era um time que ficava muito exposto, até mesmo pelo modelo de jogo mais propositivo que o ex-treinador do Leão tinha. Porém, com a chegada de Jair Ventura, houve uma ruptura nessa filosofia. Com exceção da partida contra o Palmeiras, Jair Ventura começou todas as partidas pelo Sport atuando com três volantes, deixando o time mais organizado em campo.

Ricardinho, um desses volantes, na maioria das vezes cai pela direita, o que ajudou o time a estancar os ataques adversários por ali e, além disso, também conseguiu potencializar Patric, talvez a principal peça do Sport na Série A. O time continua tomando gol todo jogo, mas a maioria aconteceu por falhas individuais, o que indica a evolução coletiva que o Rubro-Negro teve. Essa organização tática, inclusive, vem sendo fundamental para o Sport ser competitivo na primeira divisão e, claro, conseguir os resultados.

DUPLA DE ZAGA EVOLUIU

Com a organização tática do time, as peças individuais começam a se destacar. E a dupla de zaga do Sport formada por Iago Maidana e Adryelson é a prova disso. O primeiro, inclusive, vinha falhando com frequência, mas o defensor evoluiu bastante desde que Jair Ventura chegou ao Rubro-Negro. Atuando mais preso na zaga, sem sair para dar o bote no marcador como vinha fazendo rotineiramente, Maidana vem tendo boas atuações, sendo destaque na bola área, posicionamento e, além disso, também vem marcando gols: converteu os dois pênaltis que o Leão teve, diante de Grêmio e Palmeiras.

Parceiro de zaga de Maidana, Adryelson também evoluiu bastante desde a chegada do treinador. Com bom posicionamento, boa antecipação e destaque na bola aérea, o zagueiro prata da casa é um dos melhores jogadores do Sport na Série A de 2020.

COMPETITIVO MESMO COM ERROS INDIVIDUAIS

Sob o comando do técnico Jair Ventura, o Sport disputou cinco partidas: Coritiba, Grêmio, Goiás, Fortaleza e Palmeiras. Com exceção do duelo diante dos gaúchos, todos os outros jogos contaram com erros individuais. No entanto, mesmo com essas falhas, o Leão conseguiu ser competitivo e poderia estar invicto com Jair à beira do gramado caso não houvesse esses erros. Diante do Coritiba, por exemplo, o Rubro-Negro segurava o 0 x 0 até os 49 do segundo tempo, quando Mailson fez um pênalti bobo em cima do atacante rival. Resultado: gol do Coxa e derrota na estreia de Jair.

Diante do Grêmio, o Leão surpreendeu a todo mundo e venceu os gaúchos lá na arena, sem contar com falhas individuais. No entanto, no jogo seguinte, contra o Goiás, quase fica no empate depois que Elton marcou um gol contra, mas reagiu e marcou o tento da vitória com Marquinhos. No duelo diante do Fortaleza, empatava por 0 x 0 até Luciano Juba fazer um pênalti bobo e Wellington Paulista converter a penalidade. Poderia ter saído com um ponto da Arena Castelão caso não houvesse o erro do lateral, mas novamente conseguiu ser competitivo.

Diante do Palmeiras, o Sport abriu o placar e estava em vantagem até Sander falhar de forma grave: entregou a bola para Willian, que driblou Luan Polli e marcou o o gol de empate. Depois disso, o Leão tomou a virada e o lateral-esquerdo voltou a errar após ser expulso de forma desnecessária - foi a terceira do ano, já tinha sido contra Náutico (Estadual) e Imperatriz-MA (Copa do Nordeste). No entanto, o Rubro-Negro manteve a competitividade, conseguiu empatar e segurou o resultado, trazendo um ponto importante para a sequência.

PATRIC EVOLUIU E É PROTAGONISTA

Patric começou a Série A dando uma assistência na vitória do Sport diante do Ceará, ainda sob o comando do técnico Daniel Paulista. No entanto, nas outras partidas teve uma queda de desempenho, assim como todo o time. Porém, desde que Jair Ventura chegou, o lateral vem sendo o principal atleta do time, seja na fase defensiva ou ofensivamente. Com Ricardinho sendo deslocado pelo técnico para atuar como um meio-campista pela direita, o lateral ficou mais protegido na defesa e também ganhou mais liberdade para atacar.

Desde que Jair Ventura chegou, o Leão marcou seis gols. E Patric teve participação efetiva em três: marcando um tento diante do Grêmio, assistência contra o Goiás e o pênalti sofrido na última partida contra o Palmeiras. Além do desempenho tático e técnico, também vem se destacando pela liderança em campo.

MUDANÇA NO GOL

A mudança no gol do Sport era praticamente certa depois do erro de Mailson diante do Coritiba. Desde que Luan Polli retornou à titularidade, o goleiro vem tendo um bom desempenho no geral, embora o posicionamento dele no segundo gol do Palmeiras tenha sido questionado por alguns torcedores do Leão. Contra Grêmio e Goiás, por exemplo, fez boas defesas e ajudou o Rubro-Negro a sair vitorioso das duas partidas.

CAMINHO PARA MUDANÇA NO ATAQUE

Com Elton e Hernane em baixa, as atuações do Sport com Jair Ventura mostraram que o caminho talvez seja apostando num time mais móvel, sem a presença de centroavante. Na última partida contra o Palmeiras, por exemplo, o comandante colocou Rogério para atuar ali e deu certo, já que o atleta deu a assistência para Lucas Mugni empatar o duelo. Rogério, inclusive, já atuou por ali em 2016, num dos melhores momentos dele com a camisa leonina.

Com Elton e Hernane em baixa, talvez o técnico faça essa mudança no time a partir da próxima rodada. Seja colocando um atacante para jogar ali - provavelmente Rogério -, ou um meia mais ofensivo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias