ASTRONOMIA

Eclipse lunar deste 19 de novembro é o mais longo desde 1440

O eclipse deste 19 de novembro terá duração total de 3 horas, 28 minutos e 23 segundos e será o mais longo desde o de 18 de fevereiro de 1440

Agência Brasil AFP
Agência Brasil
AFP
Publicado em 18/11/2021 às 23:39
MARCELLO CASAL JR/AGÊNCIA BRASIL
Será o último eclipse lunar de 2021 - FOTO: MARCELLO CASAL JR/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

Um eclipse parcial da Lua, o mais longo de seu tipo desde 1440, poderá ser observado na madrugada desta sexta-feira (19). O fenômeno é também chamado de eclipse de microlua, quando o satélite está no ponto mais afastado da órbita ao redor da Terra. Acompanhe ao vivo.

“Isso acontece porque o caminho que a Lua percorre no entorno da Terra é uma elipse, ou seja, uma circunferência levemente achatada. Como ela está mais longe da Terra que a Lua cheia média, acaba ficando aparentemente menor, cerca de 7%’’, explica o professor do Instituto Federal de Santa Catarina Marcelo Schappo.

O eclipse deste 19 de novembro terá duração total de 3 horas, 28 minutos e 23 segundos e será o mais longo desde o de 18 de fevereiro de 1440, que durou 23 segundos a mais.

Mesmo sendo microlua, o eclipse poderá ser observado totalmente na América do Norte e em alguns países da América do Sul.

Confira o passo a passo do eclipse no Recife:

3h02

Eclipse penumbral começa
A penumbra da Terra começa a tocar a face da lua.

4h18

Eclipse parcial começa
O eclipse parcial da lua começa. Ela estará próxima ao horizonte, portanto, é recomendado ter visão livre para oeste-noroeste.

04h47

Eclipse máximo no Recife

Este é o momento em que o eclipse atinge sua maior magnitude enquanto a Lua inteira está acima do horizonte no Recife. O verdadeiro ponto máximo desse eclipse não pode ser visto no Recife porque a Lua está abaixo do horizonte neste momento. Por isso, é recomendado ir a um ponto alto ou com visão livre no sentido oeste-noroeste.

4h51

Pôr da lua
A combinação de uma lua muito baixa e a fase de eclipse total torna a Lua tão escura que pode desaparecer de vista algum tempo antes de se pôr.

Marcelo Schappo destaca ainda que próximo do momento do ápice, a Lua poderá ser vista em tom levemente avermelhado ou alaranjado. Segundo o doutor em Física, isso ocorre “porque a luz do Sol interage com a atmosfera terrestre e é desviada para dentro da sombra do nosso planeta, atingindo a Lua. Porém, no processo de interação com a atmosfera, as colorações avermelhadas da luz do Sol passam com maior intensidade.’’

Embora os eclipses lunares - alinhamento do Sol, Terra e Lua - sejam considerados raros, nesse caso a sombra da Terra encobrirá cerca de 97% da Lua, por isso é considerada parcial e é um pouco mais frequente do que quando há a cobertura total do satélite.

Após o evento lunar desta sexta-feira (19), o próximo eclipse com boa visibilidade aqui no Brasil será uma total em maio de 2022.

Neste ano, ainda há previsão de chuva de meteoros Geminídeas, em dezembro. O ápice da visualização dos meteoros no céu noturno será na madrugada do dia 14 de dezembro.

Segundo a Nasa, agência espacial americana, será necessário esperar até 8 de fevereiro de 2669 para testemunhar um eclipse parcial de maior duração (3 horas e 30 minutos) do que o de sexta-feira. Um eclipse total é esperado em menos de um ano, em 8 de novembro de 2022, e durará 3 horas e 40 minutos.

 

Comentários

Últimas notícias