Jornalismo de qualidade

101 anos do JC: Audiência digital bate recordes

No último mês de março, foram 16,4 milhões de pageviews contabilizados no site do JC. Um aumento de 70% em relação à média dos meses de janeiro e fevereiro deste ano

Ciara Carvalho
Ciara Carvalho
Publicado em 03/04/2020 às 9:58
Reprodução
Site do Jornal do Commercio - FOTO: Reprodução
Leitura:

O artista plástico Carlos Pragana é assinante do Jornal do Commercio há 30 anos. Leitor assíduo, todos os dias ele espera, ansioso, o jornal “sair do forno”. Não na porta da gráfica, como se fazia antigamente. Mas acessando, ainda de madrugada, a versão premium do JC. “Por volta de 1h, assim que a edição é publicada na internet, leio o jornal inteiro no meu tablete. Já fico bem informado dos assuntos importantes do dia”, conta. A relação de confiança se estende para o online, quando Pragana quer saber a veracidade das notícias que circulam pela internet. “Para mim, o site do JC é um balizador da informação verdadeira. Quando vejo uma noticia, vou checar se ela está lá, no jc.com.br. Se não tiver, desconfio logo que pode ser mentira.”

>> 101 anos do JC: a força e a relevância da notícia

>> Nos 101 anos do JC, João Carlos Paes Mendonça ressalta importância do jornalismo de credibilidade

>> 101 anos do JC: O passado revisitado e o mundo pós-coronavírus

>> JC libera acesso premium para massificar informação e prestação de serviço sobre o coronavírus

>> Coronavírus: Assine a nova newsletter do JC e receba diariamente as principais notícias

 

A preocupação diária da equipe do Jornal do Commercio em oferecer informação de qualidade, para muito além do papel, tem se traduzido em recordes de audiência digital. A cobertura da pandemia do coronavírus ajudou a consolidar ainda mais essa relevância. No último mês de março, foram 16,4 milhões de pageviews contabilizados no site do JC. Um aumento de 70% em relação à média dos meses de janeiro e fevereiro deste ano, de acordo com os dados registrados pelo Google Analytics. A versão digital do Jornal do Commercio também marcou presença forte no Google e no WhatsApp, com um desempenho inédito. Cerca de 60% da audiência do site veio direcionada pelos dois canais.

Desde o dia 15 de janeiro deste ano, quando a tag “coronavírus” foi cadastrada no site do JC, houve uma explosão de acessos. Foram 8,7 milhões de cliques nas páginas de todos os veículos do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC) e 3,8 milhões de usuários únicos entrando na plataforma digital do SJCC. Não foi só a quantidade de usuários que aumentou. A qualidade da informação produzida pela equipe do JC fez crescer em 28% o tempo de engajamento dos internautas. Os usuários do JC na internet não só estão lendo mais conteúdos, como estão passando mais tempo em cada uma das matérias acessadas.

Aos 71 anos, a professora aposentada Maria José Edna Águida de Farias herdou do pai o gosto pela leitura de jornal. “Minha história com o JC começa com o meu pai. E passei essa paixão para o meu filho”, diz. Ela costuma ler a versão premium do JC no celular, enquanto o filho acessa o jornal no computador. “O JC é a minha rede social”, brinca, com bom humor. Sobre o trabalho da imprensa, a professora vê a contribuição do jornalismo profissional de “máxima importância”, no momento em que informação confiável pode salvar vidas. No final do mês passado, em meio ao recrudescimento do covid-19 no País, Maria José teve o cuidado de mandar um email para o setor de assinaturas do JC. “Tenho visto homenagens bem merecidas aos profissionais da saúde. Gostaria de ver também homenagens aos profissionais da imprensa, que vivem em uma batalha incessante para dar-nos as informações do cotidiano para toda a população e para leitores apaixonados por informação com credibilidade”, registrou no email.

Laurindo Ferreira, diretor de redação do Jornal do Commercio, diz que o redesenho do site do JC, com reforço de colunistas locais, reafirma o compromisso do grupo com Pernambuco, sem perder de vista a relevância do olhar para questões do Brasil e do mundo. Ele afirma que 2020, o ano da pandemia do novo coronavírus, deixará marcas profundas no mundo do trabalho, da economia e da comunicação. “No JC, neste ano dos nossos 101 anos, aprendemos e reaprendemos muito; sobre saúde, sobre economia, sobre relacionamento humano, sobre o mundo do trabalho e suas inevitáveis mudanças. Temos a esperança de que dias melhores virão. E aí estaremos juntos para comemorar e agradecer aos nossos leitores.”

Comentários

Últimas notícias