POLÍCIA

Criminosos anunciam documentos e dinheiro falsos em redes sociais e utilizam número de celular clonado para golpe

A Polícia Federal em Pernambuco orienta a população a denunciar caso encontre este tipo de anúncio na internet

JC
Cadastrado por
JC
Publicado em 11/06/2020 às 8:57 | Atualizado em 11/06/2020 às 8:59
MARCELLO CASAL JR/AGÊNCIA BRASIL
Hackers invadem sistemas governamentais dos EUA - FOTO: MARCELLO CASAL JR/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

A Polícia Federal (PF) em Pernambuco detectou anúncios de dinheiro, cartões de crédito e habilitação falsos em uma página do Facebook. A corporação informou que o número utilizado pela quadrilha para entrar em contato com negociantes era, na verdade, clonado.

O chefe de comunicação da PF entrou em contato com os bandidos pelo WhatsApp que estava no anúncio. Na troca de mensagens, o criminoso repassa inclusive, a conta bancária onde deve ser feito o depósito. Mas, ao ligar para o número de celular, a polícia descobriu que o WhatsApp foi clonado.

“Nós fizemos uma investigação bastante rápida nesse perfil e identificamos que, possivelmente, esse bandido está usando o número de WhatsApp clonado de uma pessoa. Quando ligamos, ela enfaticamente disse que não colocou nenhum anúncio e que é barbeiro em Goiás. Como o WhatsApp está clonado, ele (bandido) pode manter contato com as pessoas e oferecer, inclusive, enviar o material ilícito através dos Correios”, explicou o chefe de comunicação da PF, Giovani Santoro.

Santoro acredita que o grupo atua como estelionatários. Ou seja, a pessoa que compra os documentos falsos deposita o pagamento na conta do grupo e nunca recebe a mercadoria. É importante ressaltar que quem compra esse tipo de material também está comentando um crime.

O chefe de comunicação da Polícia Federal orienta a população a denunciar esses anúncios caso os encontre na internet. “É importante que as pessoas fiquem atentas para que, quando verem um anúncio desses, colaborarem com a polícia e até mesmo com o site onde ele está hospedado e fazer uma denúncia. No facebook você clica em uma aba onde pode estar classificando como crime ou golpe e a própria página vai retirar o assunto do ar. Como foi o caso desse anúncio, que no primeiro dia foi retirado do ar e não está mais ativo”.

Comentários

Últimas notícias