Vacinação

Governo de Pernambuco garante que está pronto para receber a vacina contra a covid-19

Secretário Estadual de Saúde afirmou que o Programa Estadual de Imunização contará com mais de 10 milhões de seringas até janeiro do próximo ano

Ciara Carvalho
Ciara Carvalho
Publicado em 10/12/2020 às 18:40
Notícia

CHROMORANGE / Matthias Stolt/Direitos reservados
Vacina, vacinação,seringa, covid 19 - FOTO: CHROMORANGE / Matthias Stolt/Direitos reservados
Leitura:

O governo de Pernambuco garantiu que está pronto para colocar em ação o esquema de vacinação contra a covid-19 no Estado. Em coletiva online realizada na tarde desta quinta-feira (10), o secretário Estadual de saúde, André Longo, disse que, assim que o primeiro imunizante for liberado pela Anvisa e as primeiras doses forem enviadas aos Estados, Pernambuco poderá iniciar a vacinação no prazo máximo de quatro dias. Ele informou que já existem nos estoques 1,7 milhão de seringas e outros 1,8 milhão já tiveram a compra finalizada, com entrega prevista para o final do mês.

>> Pernambuco abrirá mais 199 leitos para covid-19 até o final de dezembro

>> Covid-19: Bares e restaurantes terão que fechar às 20h nas vésperas de Natal e revéillon em Pernambuco

>> Covid-19: Pernambuco proíbe festas, shows e eventos de Natal e Ano Novo

>> Com terceira semana de aumento de casos, Pernambuco entra em tendência de crescimento da covid

Há ainda um processo de aquisição para mais sete milhões de unidades, com previsão de ser concluído até janeiro de 2021, em tempo hábil para a vacinação contra a Covid-19, que deverá ser feita por etapas, de acordo com determinação do Ministério da Saúde (MS).

O secretário de Saúde afirmou que o Programa Estadual de Imunização contará, portanto, com mais de 10 milhões de seringas até janeiro do próximo ano. “Estruturamos nossa rede para que, com a chegada do imunizante ao Recife, em, no máximo, quatro dias todos os municípios pernambucanos recebam as doses para atender a população", garantiu Longo.

"PLANO A"

O secretário lembrou que a compra das vacinas é feita pelo Ministério da Saúde, além de ser um direito de cada brasileiro, e que a validação para uso é de responsabilidade da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Ele classificou o Plano Nacional de Imunização, que é referência mundial na distribuição e aplicação de vacinas, é o "plano A" e não vê razão para uma "guerra de vacinas".

“O governador Paulo Câmara já esteve com o ministro nesta semana e recebeu o compromisso de que tudo está sendo feito, com celeridade, para garantir imunização ao país inteiro. Mas não vamos ficar só com as palavras, vamos acompanhar e cobrar as ações efetivas”, disse.

Segundo o gestor, desde setembro deste ano a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) vem atuando na preparação para a imunização contra o novo coronavírus. Ele lembrou que o Estado realiza diversas campanhas de vacinação anualmente e sempre se destaca no ranking nacional.

Na última ação realizada, contra a poliomielite, Pernambuco foi o Estado que mais vacinou em todo o Brasil. Na campanha da influenza deste ano, o Estado também alcançou a meta preconizada para os grupos prioritários.

Balanço de casos de covid-19 no Estado

Nesta quinta-feira (10), Pernambuco chegou a dez dias seguidos com média móvel de casos do novo coronavírus acima de mil. Com 1.588 novos casos confirmados pela Secretaria Estadual de Saúdes (SES-PE) nas últimas 24 horas, o Estado atingiu a média de 1.154, na qual tendência de alta atingiu 62%.

No balanço divulgado, foram contabilizadas mais 29 mortes por covid, totalizando 2.229 vidas perdidas para a doença em Pernambuco.

A média móvel é considerada o índice ideal para medir o avanço da pandemia em um local. Ela contabiliza a média dos últimos sete dias (contando com hoje) e compara com 14 dias atrás. Variações acima de 15%, seja para mais ou menos, indicam tendência de alta ou queda respectivamente. Já abaixo disso, indica estabilidade.

Comentários

Últimas notícias