FISCALIZAÇÃO

Procon interdita três bares no Centro do Recife por descumprirem restrição de horário

A fiscalização passou por 11 estabelecimentos; alguns estavam fechados, outros funcionando apenas por delivery

JC
Cadastrado por
JC
Publicado em 17/03/2021 às 7:29 | Atualizado em 17/03/2021 às 10:18
DIVULGAÇÃO/PROCON
Os bares interditados foram o Cabaret Bar e Comedoria, o Lisbela e o Prisioneiro, ambos no bairro da Boa Vista, e o Metrópole, no bairro da Soledade - FOTO: DIVULGAÇÃO/PROCON
Leitura:

O Procon Pernambuco interditou, na noite dessa terça-feira (16), três bares no Centro do Recife. Segundo o órgão, os estabelecimentos estavam funcionando após as 20h com atendimento presencial, contrariando o decreto do governo estadual que impôs restrições de horário para serviços não essenciais para frear a disseminação da covid-19.

Os bares interditados foram o Cabaret Bar e Comedoria, o Lisbela e o Prisioneiro, ambos no bairro da Boa Vista, e o Metrópole, no bairro da Soledade.

De acordo com o Procon, no Cabaret, que fica próximo ao Pátio de Santa Cruz, diversas pessoas estavam do lado de fora, e ambulantes também precisaram ser dispersados.

Ao todo, a fiscalização, que conta com profissionais da Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa), Corpo de Bombeiros e Polícia Militar, passou por 11 estabelecimentos; alguns estavam fechados, outros funcionando apenas por delivery.

» Saiba o que pode e o que não pode funcionar em Pernambuco durante a quarentena mais rígida

Muitos ambulantes, principalmente os localizados na Rua Sete de Setembro, foram orientados a encerrar as atividades.

O Lisbela e o Prisioneiro falou à reportagem que houve um atraso de 50 minutos da saída de três clientes de apenas uma das mesas do local, mas que não foi encontrada no bar nenhuma outra irregularidade. Acrescentou, também, que a porta estava entreaberta, e o estabelecimento funcionava por delivery no momento da interdição. Representantes irão hoje até a sede do Procon apresentar a defesa e resolver o caso.

A Metrópole afirmou que suas atividades estão suspensas desde o dia 4 de março, e que nessa terça (16), um cliente que havia agendado retirada de produtos se encontrava no local quando os fiscais chegaram. "Nos impediram de explicar o ocorrido e, de forma truculenta, realizaram a interdição", disse, por nota. "Esperamos ansiosamente que o Governo do Estado cumpra com seu papel de auxiliar os setores mais atingidos pela pandemia como diz fazer. Com respeito, correção e zelo, não da forma que presenciamos ontem."

Fiscalização

Desde o dia 3 março, quando as medidas ficaram mais restritivas, foram para as ruas 33 equipes, 329 estabelecimentos foram fiscalizados, 27 autuados e 20 interditados. A partir desta quinta-feira (18), o Estado entra em uma quarentena ainda mais rígida, quando bares e restaurantes estarão proibidos de ter atendimento presencial todos os dias da semana, em qualquer horário, até 28 de março.

Quarentena mais rígida

A partir da quinta-feira (18), Pernambuco entra em quarentena, ficando proibido o funcionamento de atividades sociais e econômicas não essenciais em todos os horários, durante toda a semana. Desta forma, estarão fechados o comércio não essencial, bares e restaurantes, praias e parques, escolas, lojas de conveniência entre outros. O objetivo é conter o aumento de casos e não colapsar o sistema de saúde. As UTIs da rede pública, por exemplo, têm uma ocupação superior a 90%, mesmo com a abertura de novos leitos nos últimos dias. O decreto valerá até o dia 28 de março.

No período de quarentena, ficarão proibidos de funcionar os serviços de bares e restaurantes; shoppings e galerias comerciais; óticas; salas de cinema e teatros; academias; salão de beleza e similares; comércio varejista de vestuário, calçados, eletroeletrônicos e linha branca, cama, mesa e banho e produtos de armarinho; escolas e universidades (públicas e privadas); clubes sociais , esportivos e agremiações; práticas e competições esportivas; praias, parques e praças; ciclofaixas de lazer, eventos culturais e de lazer, além dos sociais. Igrejas e demais templos religiosos poderão abrir para atividades administrativas e para preparação e realização de celebrações via internet.

Comentários

Últimas notícias