TRANSPORTE PÚBLICO

Com paralisação da Linha Sul do Metrô do Recife, linhas de ônibus são reforçadas na volta para casa

Os trens não circularam nesta terça-feira (6) devido a um problema na rede aérea da linha

JC
JC
Publicado em 06/04/2021 às 17:39
Notícia
PAULO DANIEL/JC IMAGEM
Entre as linhas com a frota reforçada, está o TI Cajueiro Seco - FOTO: PAULO DANIEL/JC IMAGEM
Leitura:

atualizada às 22h02

A paralisação da Linha Sul do Metrô do Recife, provocada por um problema na rede aérea - que causou falta de energia de tração dos trens desde o início da manhã desta terça-feira (6), ocasionou vários transtornos ao longo do dia. De acordo com a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), ainda não há previsão de normalização do serviço. Com isso, a alternativa para os passageiros é ter paciência e enfrentar os ônibus. Para tentar amenizar o problema, o Grande Recife Consórcio de Transporte divulgou um plano de reforço das linhas. 

>> Volta para casa mais complicada com paralisação da Linha Sul do Metrô do Recife

>> Estações da Linha Sul do Metrô do Recife são fechadas temporariamente após problemas

>> Trem apresenta problemas e passageiros são evacuados no Metrô do Recife

Segundo a empresa, neste final de tarde e durante o período da noite entrará em circulação a linha especial TI Aeroporto/TI Cajueiro Seco, com tarifa anel A (R$ 3,75), operada pela empresa Vera Cruz.

Além disso, haverá reforço nas linhas TI Aeroporto/TI Afogados, que também fará viagens até o Cais de Santa Rita, na área central do Recife, na TI Cajueiro Seco (Rua do Sol), TI Tancredo Neves (Conde da Boa Vista), TI Cajueiro Seco/Shopping Recife e TI Cabo. 

Às 21h50 desta terça, o Grande Recife Consórcio de Transporte informou que ainda não sabe se haverá reforço no transporte público nesta quarta-feira (7) porque depende de um posicionamento da CBTU a respeito da normalização dos serviços. O JC entrou em contato com a companhia para saber como será a operação nesta quarta, mas ainda não obteve resposta. No último contato, ainda não havia previsão de retorno.

Quem precisa enfrentar o transporte público para se locomover, reclama dos problemas encontrados. "Assim como todos aqui tenho reclamações a fazer sobre o desconforto de estar trafegando sem ar condicionado, o trem estar quebrando toda hora. Hoje quebrou o metrô da Linha Sul. O preço sobe constantemente e nós com um serviço deficitário. Então está deixando muito a desejar no sentido de conforto dos passageiros", relatou o contador Sóstenes Bahia. 

A fisioterapeuta Karoline Santana afirmou que os passageiros são um dos mais prejudicados com a situação. "Hoje tive o maior transtorno, porque fui para a Estação Prazeres e me deparei com ela fechada. Perdi minha psicoterapia, porque tinha que sair de lá para pegar um ônibus do Barro e do Barro pegar para a pracinha da cidade. Um transtorno realmente. A gente sabe que está defasado demais essas questões de transporte público e nós ficamos prejudicados. Não só a questão da saúde, no meu caso hoje, mas como também a situação diária. É muita gente para usar. Espero que realmente haja uma melhora", comentou.

Aumento de tarifa

Desde o dia 20 de março a tarifa do metrô passou de R$ 4 para R$ 4,25. Este é o sétimo reajuste das tarifas num intervalo de um ano e oito meses. E são majorações que já ultrapassam os 80%. Em março de 2019, a passagem subiu de R$ 1,60 para R$ 2,60 e, de lá até agora, chegou a R$ 4,25.

No perfil oficial da CBTU Recife, os usuários não pouparam críticas à administração. Muitos consideraram que a manutenção do aumento da passagem é um desrespeito com a população, diante da adoção de medidas mais restritivas para conter a disseminação da covid-19. Além disso, eles cobraram melhorias do sistema metroviário que pudessem corresponder ao novo valor cobrado.

>> Metrô do Recife tem o sétimo aumento da tarifa desde 2019. Não tem passageiro que aguente

Comentários

Últimas notícias