VANDALISMO

Desocupado, prédio da Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), em Camaragibe, é alvo de destruição e furtos

Edifício foi desativado em dezembro de 2019 e, desde então, tem um cenário de completa destruição. Quase tudo foi roubado e praticamente só sobraram as paredes do edifício

Katarina Moraes
Katarina Moraes
Publicado em 18/05/2021 às 13:59
Notícia
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Antiga Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), localizada em Camaragibe, no Grande Recife - FOTO: BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Leitura:

Com informações da repórter Cinthia Ferreira, da TV Jornal

O prédio da Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), localizado em Camaragibe, no Grande Recife, já não tem mais os corredores cheios de estudantes da Universidade de Pernambuco desde dezembro de 2019, quando foi desativado por problemas estruturais. Hoje, o que se vê é um cenário de muita destruição. Quase tudo foi roubado e praticamente só sobraram as paredes do edifício.

Onde funcionava a recepção, há muitos documentos espalhados pelo chão. O teto foi quebrado, e os fios foram roubados. Nem as janelas escaparam da ação de vândalos. Em uma das salas de aula, há dezenas de pastas de dente e produtos de limpeza bucal estragados pelo chão.

A dona de casa Gerlane Ferreira, que mora em uma área da faculdade, enumera os objetos que foram levados. "Computador, impressora, sofá, tudo o que estava nas salas. Grades, birô, cadeiras...", disse.

Até mesmo ossos humanos estavam espalhados pela faculdade. Segundo moradores, a capelinha da FOP também foi violada, e ossos de túmulos foram roubados. "Tinha crânio por todo canto, até onde era o Diretório Acadêmico", afirmou Gerlane.

A entrada da capela foi fechada, mas esta parece ter sido a única providência tomada. No terreno atrás da faculdade, há ainda muitos restos de equipamentos. Alguns têm até o número do patrimônio. Foram encontrados ainda diversos focos com larvas de mosquitos. A Escola Estadual Santa Apolônio, que fica na área, também foi desativada, e é alvo de vandalismo.

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Faculdade de Odontologia de Pernambuco (FOP), abandono. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM

No prédio da faculdade, moravam cerca de 100 famílias. Quando o prédio foi desativado, a maioria saiu. Atualmente, ainda vivem cerca de 20 famílias no local, que estão constantemente preocupadas com a frequência dos furtos. É o caso do morador e porteiro José Armando.

"Temos que conviver com furtos, com roubos. Um prédio próximo era um local incrível, era uma lanchonete para aonde os estudantes iam. Hoje, está um mausóleo, parecendo um prédio de guerra", afirmou.

Esclarecimento

Por nota, a Universidade de Pernambuco (UPE) disse que o prédio da FOP não está abandonado, e sim desocupado por ordem da Defesa Civil de Camaragibe diante do risco de desabamento. Em relação aos furtos de equipamentos e ossadas, a instituição afirmou que fica claro o crime por parte das pessoas que arrombaram o local. A universidade disse que vem notificando os casos à polícia.

A Prefeitura de Camaragibe disse já realizou duas vistoriais no local, fazendo recomendações à UPE. Ademais, afirmou que o prédio é de responsabilidade do Governo do Estado, mas que vai transportar os ossos humanos para o Cemitério Municipal em uma data ainda a ser definida. Em relação aos focos de dengue, uma equipe de endemias será encaminhada ao local.

Até agora, a Polícia Militar de Pernambuco não respondeu sobre os arrombamentos e furtos na FOP.

Comentários

Últimas notícias