Estado de saúde

Mulher trans queimada no Centro do Recife tem piora no quadro de saúde e é intubada

Roberta Silva, de 32 anos, deu entrada no Hospital da Restauração na sexta-feira (25) após ter 40% do seu corpo queimado. Neste sábado (25), a sua pressão arterial ficou instável, o que ocasionou na necessidade da intubação

Luisa Farias
Cadastrado por
Luisa Farias
Publicado em 26/06/2021 às 17:29 | Atualizado em 26/06/2021 às 19:16
ARQUIVO/JC IMAGEM
Roberta precisará passar por uma cirurgia na tarde desta quarta-feira (30) no HR - FOTO: ARQUIVO/JC IMAGEM
Leitura:

Com informações da Rádio Jornal

A mulher trans Roberta Silva, de 32 anos, que foi queimada por um adolescente na madrugada da sexta-feira (25), precisou ser intubada neste sábado (26) devido ao agravamento do seu estado de saúde, segundo informou a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE) à Rádio Jornal. 

Roberta deu entrada no Hospital da Restauração (HR) na sexta-feira (25), na Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ), e apresentava um quadro estável desde então, ainda que necessitasse de cuidados De acordo com a unidade, a vítima sofreu lesões no tórax, abdômem, mãos e braços e ainda precisou passar por um procedimento cirúrgico para limpar os machucados no corpo.

Neste sábado, porém, a sua pressão arterial ficou instável, o que ocasionou na necessidade da intubação. "A paciente Roberta segue internada na Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ) do Hospital da Restauração (HR). Neste sábado (26/06), a paciente apresentou instabilidade hemodinâmica, sendo necessária a intubação. No momento ela está realizando exames e sendo acompanhada pelas equipes médicas para novos procedimentos", diz a nota da SES-PE. 

Transfobia

Em entrevista à Rádio Jornal, a codeputada Robeyoncé Lima, do mandato coletivo das Juntas (Psol) na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), ressaltou que a motivação para a violência contra Roberta foi a transfobia. Ela a visitou no hospital na sexta (25), onde viabilizou a sua transferência da ala masculina, onde estava inicialmente. 

"O que ela me disse é que o cara chegou, jogou alguma substância inflamável e colocou fogo", afirmou Robeyoncé. "Ela me disse que foi por discriminação. Transfobia", completou. 

Comentários

Últimas notícias