Investigação

Prefeito de Itapissuma é afastado novamente em operação da Polícia Civil contra corrupção

A primeira fase da operação resultou na suspensão do do cargo público de 12 pessoas, entre elas o prefeito de Itapissuma, José Bezerra Tenório Filho, conhecido como Zé de Irmã Teca (PSD) e a então vice-prefeita Elionilda José de Santana (PP)

Luisa Farias
Luisa Farias
Publicado em 29/06/2021 às 7:09
Divulgação/Polícia Civil de Pernambuco
Operação Dragão do Mar II da Polícia Civil de Pernambuco - FOTO: Divulgação/Polícia Civil de Pernambuco
Leitura:

Atualizada às 11h56

A Polícia Civil de Pernambuco deflagrou na manhã desta terça-feira (29) a sua 48a Operação de Repressão Qualificada do ano de 2021 nos municípios de Itapissuma, Igarassu e Paulista, na Região Metropolitana do Recife (RMR). O prefeito de Itapissuma, José Bezerra Tenório Filho, conhecido como Zé de Irmã Teca (PSD), foi afastado do cargo no âmbito da operação.

Denominada de "Dragão do Mar II", a operação mira uma associação criminosa suspeita da prática dos crimes de peculato, corrupção, fraude à licitação, falsidade ideológica, frustração de direito assegurado por lei trabalhista e crime de responsabilidade. 

 

As investigações começaram ainda em janeiro de 2020, com o apoio da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco (DINTEL).

A primeira fase da operação, deflagrada em dezembro de 2019, resultou na suspensão temporária do cargo público de 12 pessoas, entre elas o prefeito de Itapissuma, José Bezerra Tenório Filho, conhecido como Zé de Irmã Teca (PSD), a então vice-prefeita Elionilda José de Santana (PP), o presidente da Câmara Municipal de Itapissuma, Jefferson Telles Alves Carneiro de Albuquerque, conhecido como "GG de Seu Antônio" (PSDB), o 1º secretário da Casa, Nivaldo Vicente da Silva, conhecido como "Irmão Nivaldo" (PMN) e quatro servidores municipais. 

A "Dragão do Mar I" apura indícios de irregularidades na execução do programa "Frente de Serviço", na área de assistência social do município. A suspeita inicial era de que tinha havido um desvio de mais de R$ 10 milhões pelos desvios praticados desde o ano de 2017. 

De acordo com o delegado Jean Rockfeller na época, os valores destinados ao programa teriam sido desviada para cabos eleitorais que na verdade atuam na área de limpeza urbana, por meio de contratos sem licitação. 

Zé de Irmã Teca reassumiu o cargo em junho de 2020 por determinação da Justiça Estadual. Ele foi reeleito prefeito nas eleições municipais em novembro. 

O advogado do prefeito de Itapissuma, Luis Gallindo, vai conceder uma coletiva de imprensa sobre o caso nesta terça-feira (29) às 12h30.  

Operação

A operação está vinculada à Diretoria Integrada Especializada - DIRESP, presidida pela Titular da 1ª Delegacia de Combate à Corrupção - 1ª DECCOR, delegada Viviane Santa Cruz. A DECCOR é uma unidade do Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (DRACCO).

Divulgação/Polícia Civil de Pernambuco
Operação Dragão do Mar II da Polícia Civil de Pernambuco - Divulgação/Polícia Civil de Pernambuco
Divulgação/Polícia Civil de Pernambuco
Operação Dragão do Mar II da Polícia Civil de Pernambuco - Divulgação/Polícia Civil de Pernambuco
Divulgação/Polícia Civil de Pernambuco
Operação Dragão do Mar II da Polícia Civil de Pernambuco - Divulgação/Polícia Civil de Pernambuco

Estão sendo cumpridos nesta terça-feira (29) um total de 26 mandados de busca e apreensão domiciliar e 24 mandados de suspensão do exercício dos Cargos, empregos ou funções Públicas por 180 dias, expedidos pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). 

Atuam na execução dos mandados 130 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. 

Os detalhes da operação serão divulgados em uma coletiva de imprensa nesta terça (29), às 11h, no auditório da Sede Operacional da Polícia Civil, no bairro da Boa Vista, área central do Recife. 

Comentários

Últimas notícias