investigação

Inquérito policial é aberto para investigar agressão de cliente à caixa de restaurante no Litoral Sul de Pernambuco

A cena de agressão verbal, que foi registrada em vídeo, ganhou grande repercussão nas redes sociais nessa quinta-feira (26).

Bruna Oliveira
Bruna Oliveira
Publicado em 27/08/2021 às 13:32
REPRODUÇÃO DE VÍDEO
Agressão verbal aconteceu na Ilha de Santo Aleixo, em Sirinhaém - FOTO: REPRODUÇÃO DE VÍDEO
Leitura:

Um inquérito policial foi aberto na delegacia de Sirinhaém, no Litoral Sul de Pernambuco, para investigar a agressão sofrida por Jennypher Costa, de 20 anos, agredida verbalmente por um cliente enquanto trabalhava no caixa de um restaurante na Ilha de Santo Aleixo, na mesma cidade. A cena, que foi registrada em vídeo, ganhou grande repercussão nas redes sociais nessa quinta-feira (26).

Acompanhada do seu advogado, Luís Maranhão, a jovem chegou à delegacia nesta sexta-feira (27) para pedir a investigação do caso. "Hoje demos o primeiro passo e viemos até a delegacia. Aqui, está sendo instaurado inquérito policial para a apuração de eventuais práticas criminosas. No nosso entender, o agressor cometeu crime de injúria, difamação e em razão do gênero, já que ela sofreu a agressão por ser do sexo feminino", explicou o advogado, que, ao ver o vídeo do ato nas redes sociais, se ofereceu para advogar a favor da jovem de forma gratuita. 

Por meio de uma publicação nas redes sociais, a jovem conta que foi xingada pelo homem, que seria um empresário, porque pediu aos garçons para desligarem o som do estabelecimento, já que era o fim do expediente. "Ele não gostou e se revoltou. Na hora de fechar a conta, foi ao caixa e começou a falar tudo o que tem no vídeo".

A gravação teria sido feita por um amigo do cliente que a desrespeitou. O vídeo começa quando os dois se dirigem ao caixa. No local, uma série de palavrões é direcionada à jovem.

"Atendimento c* do c******. Pior atendimento da Ilha de Santo Aleixo. Estou vindo aqui mandar meus hóspedes, mas jamais vou mandar para atendimento com você. Você é uma b****. Seu atendimento é uma b****", diz o homem, exaltado.


O proprietário do restaurante que Jennypher trabalha, João Pires, contou que apesar da grande repercussão ter ocorrido recentemente, o caso ocorreu no dia 15 de dezembro de 2020. "Eu não estava no estabelecimento quando tudo ocorreu, mas fiquei revoltado. Falei com ela e a mãe para tomar as medidas cabíveis, mas ela se sentiu tão humilhada e constrangida com a situação que pediu para não dar continuidade ao caso", falou.

Segundo ele, o homem compareceu ao local pela primeira vez no dia do ocorrido e teria ido ao restaurante como o objetivo de conhecer o estabelecimento, para levar seus clientes até o local, já que o agressor seria proprietário de uma pousada.

Para a jovem, o que restou foi a sensação de humilhação. "Eu me senti extremamente humilhada, muito desrespeitada. Eu, como mulher, não desejo isso a ninguém. Foi muito humilhante", desabafou Jennypher.


Comentários

Últimas notícias