TRAGÉDIA

Duas crianças morrem em grave acidente na BR-232, em São Caetano, Agreste de Pernambuco

As meninas tinham 2 e 8 anos de idade. A mais nova não estava numa cadeirinha apropriada para idade dela, como manda a legislação de trânsito

Margarida Azevedo
Margarida Azevedo
Publicado em 07/09/2021 às 22:35
Notícia
PFR
Acidente ocorreu no início da noite no quilômetro 154 da BR-232, em São Caetano, no Agreste - FOTO: PFR
Leitura:

Duas crianças e um adulto morreram num grave acidente que aconteceu no início da noite desta terça-feira (07) no Agreste de Pernambuco. Dois carros, um Sandero e um Corolla, colidiram de frente, por volta das 18h40, no quilômetro 154 da BR-232, em São Caetano.

Uma menina de 2 anos, que não estava numa cadeirinha adequada para idade dela, como obriga a legislação de trânsito, e outra de 8 anos foram projetadas para fora do veículo. Elas estavam no Sandero. O motorista, que era padrasto da garota de 8 anos e tio da menina de 2 anos, também morreu.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, pelos vestígios verificados no local, o Sandero entrou na contramão da rodovia.

No Corolla havia um casal. Também conforme a PFR, eles ficaram feridos e foram socorridos para o Hospital de São Caetano.

Além da PRF, o Instituto de Criminalística, o IML e o Corpo de Bombeiros estiveram no local. A Polícia Civil vai investigar o caso.

LEGISLAÇÃO

A Resolução 277 do Contran determina que as crianças menores de dez anos devem ser sempre transportadas nos bancos traseiros dos veículos usando individualmente cinto de segurança. Até os sete anos e meio, elas devem utilizar o equipamento de retenção adequado (bebê conforto, cadeirinha ou assento de elevação).

"O trânsito é a principal causa de morte acidental de crianças de zero a 14 anos no Brasil. Todos os dias, cerca de 3 crianças dessa faixa etária morrem em decorrência de acidentes nesse ambiente, isso representa mais de 1.200 vidas perdidas todos os anos, de acordo com dados do Ministério da Saúde", destaca a ONG Criança Segura.

"A maioria desses casos (36%) acontecem com meninas e meninas em condição de passageiras de veículos", enfatiza a entidade, ressaltando ainda que "o uso dos dispositivos de retenção veicular é a única forma de garantir a segurança infantil em automóveis. Esses equipamentos, além de serem obrigatórios no transporte de meninas e meninos, são essenciais para evitar que mais crianças morram ou fiquem gravemente feridas devido a acidentes de trânsito".

Comentários

Últimas notícias