Substância tóxica

Balconistas de farmácia no interior de Pernambuco induzem idoso a ingerir álcool 70%

A ingestão de álcool a 70% não é recomendada e pode causar causar efeitos colaterais como embriaguez (pelo alto teor alcoólico), perda da consciência, vômitos, diminuição da respiração, parada cardíaca e até coma

Luisa Farias
Luisa Farias
Publicado em 23/10/2021 às 16:06
Notícia
Reprodução
Dois balconistas de farmácia em Nazaré da Mata induzem idoso a ingerir álcool 70% - FOTO: Reprodução
Leitura:

Atualizada às 19h34

Com informações da TV Jornal

Dois balconistas de uma farmácia localizada no município de Nazaré da Mata, na Mata Norte de Pernambuco, gravaram um vídeo na última quinta-feira (23) oferecendo álcool a 70% para um idoso de 60 anos que estava com sinais de embriaguez. 

O álcool a 70% se popularizou durante a pandemia da covid-19 por ser o produto ideal para desinfecção de mãos e superfícies. Mas a sua ingestão não é recomendada. De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz, o líquido contém substâncias que podem causar efeitos colaterais como embriaguez (pelo alto teor alcoólico), perda da consciência, vômitos, diminuição da respiração, parada cardíaca e até coma. 

Enquanto um dos balconistas grava o vídeo, é possível ver o outro colocando álcool líquido em um copo descartável e entregando ao idoso, que ingere a substância sob o incentivo dos dois. O vídeo repercutiu negativamente nas redes sociais e gerou revolta na população de Nazaré da Mata. 

Reação

O dono da farmácia, Fausto Júnior, se manifestou sobre o ocorrido por meio de outro vídeo divulgado na sexta-feira (22), em que afirma que demitiu os funcionários.

"O primeiro motivo de só estar gravando esse vídeo nesse dia e nessa hora é porque nós corremos atrás para todas as atitudes possíveis neste momento. Foram elas, junto com um advogado da empresa buscar a delegacia de Nazaré para abrir um boletim de ocorrência e fazer a comunicação do ocorrido e a segunda coisa foi buscar o escritório de contabilidade para providenciar o afastamento imediato desses dois funcionários", afirmou o empresário.

Fausto disse ter ficado perplexo com a atitude dos dois. "Nós também estamos revoltados com o acontecido e não compactuamos de forma nenhuma com a atitude que eles tomaram", completou Fausto no vídeo. 

Mário César, advogado do idoso, informou ao JC que ele é alcoólatra e solicitou que o seu nome e imagem fossem preservados. De acordo com o advogado, o idoso não foi procurado pelo dono da farmácia ou pelos balconistas. Ele está bem e não precisou de atendimento médico. 

Questionado pelo JC se prestaria algum apoio ao idoso, o dono da farmácia afirmou que "a empresa está a disposição". "Já fomos na delegacia imediatamente ao conhecimento do fato e todas as medidas jurídicas cabíveis serão tomadas", completou Fausto. 

O idoso e o advogado chegaram a ir até a delegacia na sexta (22), mas devido a uma queda do sistema do local, não conseguiram prestar queixa, que foi feita apenas neste sábado (23). A princípio, a queixa será contra os funcionários da empresa, mas eles não têm sequer os seus nomes, pois a vítima não se lembra do ocorrido com detalhes. 

"Ele estava em patente estado de vulnerabilidade. Ele só sabe que foi um lugar e que foram dois funcionários. Na hora que ele passou chamaram ele. Mas ele não tem recordação de nada", disse Mário César. 

Segundo explica Mário, caberá ao delegado fazer a tipificação adequada do ato. "Tem a questão da injúria qualificada que foi dado conhecimento a muitas pessoas através de redes sociais, e existe a questão da tentativa de questão corporal culposa, a gente pode trabalhar em cima disso", explicou o advogado. 

Comentários

Últimas notícias