Saúde

Surto de coceira: moradores de Camaragibe, no Grande Recife, relatam incômodo

O problema ainda é um mistério para a comunidade médica que orienta as pessoas com os sintomas a seguir cuidados e evitar contato próximo com outros indivíduos

Julianna Valença
Julianna Valença
Publicado em 25/11/2021 às 17:42
TV JORNAL/REPRODUÇÃO
Surto de lesões que causam coceira na pele é investigado no Estado - FOTO: TV JORNAL/REPRODUÇÃO
Leitura:

Com informações da TV Jornal

Até esta sexta-feira (26), a cidade de Camaragibe, no Grande Recife, tem registro de 108 pessoas com sintomas das lesões e coceiras na pele. O município integra, junto com outras cinco cidades, notificações do surto de causa desconhecida. O problema ainda é um mistério para a comunidade médica que orienta as pessoas com os sintomas a seguir cuidados e evitar contato próximo com outros indivíduos.

O aposentado José Lino, morador do bairro de Jardim Primavera, em Camaragibe, foi um dos que apresentou os sintomas, além de suas duas filhas. “De noite e de tia você acorda se coçando. Estou com irritação no braço e nas costas”, relata. Uma de suas filhas, a dona de casa Cibely Lino, está com braços e pernas cheios das pintas vermelhas.

Na mesma rua em que residem os Lino, a Filomena Maria, outros moradores também apresentaram irritação na pele. A dona de casa Fátima Batista afirma que começou a sentir os sintomas há um mês e que o contato com água piora. “Meu filho também ficou com essa coceira. A região que me incomoda é nos braços, pernas e pescoço. Tomei vários remédios, gastei em torno de R$60 e continuo me coçando”, declarou.

A dermatologista Lígia Pessoa orienta a população com os cuidados ao perceber em si algum dos sintomas das lesões. "Se tiver algum sinal de alerta como febre, ou algum outro sinal, deve-se procurar um profissional de saúde. Evitem banhos quentes e produtos caseiros. Os banhos frios e compressas frias ajudam a aliviar", declarou a profissional.

Casos registrados

Recife lidera a quantidade de notificações com 150 casos. Seguida por 78 casos em Camaragibe; 22 em Olinda; 21 em Jaboatão dos Guararapes, seis em São Lourenço da Mata; e seis em Paulista.

Na capital pernambucana, cerca de 23 bairros contabilizam casos das lesões. Mais de 80% concentram-se em Dois Irmãos e na Guabiraba, e os demais se espalham por Boa Viagem, Várzea, Córrego do Jenipapo, Bomba do Hemetério, Encruzilhada, Torre, Graças, Morro da Conceição, Brejo da Guabiraba, Passarinho, Linha do Tiro, Boa Vista, Sítio dos Pintos, Imbiribeira, Ibura, Mangabeira, San Martin, Porto da Madeira, Casa Forte, Cordeiro e Tamarineira.

Comentários

Últimas notícias