INVESTIGAÇÃO

Caso Boco do Borel: MC e esposa do cantor prestam depoimento à polícia

Boco, 34, foi assassinado na madrugada do último domingo (26) em um bar na Avenida dos Pescadores, em Serrambi, no município de Ipojuca, Região Metropolitana do Recife, onde se apresentava

Julianna Valença
Cadastrado por
Julianna Valença
Publicado em 30/12/2021 às 14:39
REPRODUÇÃO DO INSTAGRAM
Alynne Cristina e Paulo Roberto Gonçalves Cavalcanti, o MC Boco, eram casados há cinco anos - FOTO: REPRODUÇÃO DO INSTAGRAM
Leitura:

Nesta quinta-feira (30), Alynne Silva, esposa de Paulo Roberto Gonçalves Cavalcanti, conhecido como MC Boco do Borel, e o artista MC Neto foram ouvidos pela Polícia Civil sobre o assassinato do cantor. Boco, 34, foi assassinado na madrugada do último domingo (26) em um bar na Avenida dos Pescadores, em Serrambi, no município de Ipojuca, Região Metropolitana do Recife, onde se apresentava.

O MC Neto, que teria dividido palco com Borel na noite do crime, teria sido ouvido na Divisão de Homicídio Sul, localizada no bairro de Prazeres, em Jaboatão do Guararapes, Grande Recife. Já Alynne Silva, teria prestado depoimento no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no Cordeiro, Zona Oeste.

Além da dupla, outras 10 pessoas também teriam falado à polícia sobre o crime durante esta semana. Segundo apuração da TV Jornal, outras testemunhas também devem ser ouvidas nos próximos dias.

Ainda não se sabe ao certo quantas pessoas testemunharam o crime, já que durante os disparos muitos correram do estabelecimento. Estima-se que entre 60 a 90 pessoas estivessem no bar durante o evento.

Sérgio Gonçalves, advogado da família do MC Borel, falou à TV Jornal sobre o caso. “Estamos vendo muita especulação, principalmente, na internet, mas eu acredito que dentro do inquérito policial vão haver novidades. Não acredito que haja envolvimento de facções nisso, pois já havia acontecido uma resposta mais grave. Para mim, isso foi um caso de execução, mas só vamos saber depois", considerou.

O delegado Marcos de Castro, responsável pelas investigações, chegou à delegacia do Cabo de Santo Agostinho por volta das 12h, mas não falou com a imprensa. A Polícia Civil disse que não pode fornecer detalhes no momento e que se pronunciará no final da investigação.

O advogado disse representar não só a família de Boco do Borel, mas também os fãs e que cobra respostas. “Muita gente está apreensiva para falar o que aconteceu, inclusive, a família de Boco, que não quer falar com ninguém… Eu peço neste momento que haja transparência dos contratantes, para sabermos sobres detalhes da contratação do show”, relatou.

Comentários

Últimas notícias