PETIÇÃO

Sergio Moro pede ao STF para divulgar depoimento que prestou à PF contra Bolsonaro

Na petição, a defesa do ex-ministro alega que a imprensa está divulgando "trechos isolados" do depoimento

Thalis Araújo
Thalis Araújo
Publicado em 04/05/2020 às 19:00
EVARISTO SA/AFP
O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro - FOTO: EVARISTO SA/AFP
Leitura:

A defesa do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, solicitou ao decano do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, permissão para divulgar, na íntegra, o depoimento prestado por Moro contra o presidente Bolsonaro à Polícia Federal, no último sábado (02). Na petição enviada ao decano, os advogados de Moro alegam que a imprensa vem divulgando "trechos isolados" do depoimento e a intenção da divulgação é de "evitar interpretações dissociadas" do contexto real das declarações do ex-ministro.

>> Após saída de Moro, Bolsonaro tem maior avaliação negativa desde que iniciou o governo

>> Em conversa com apoiadores, Bolsonaro expõe cartaz que chama de 'fofoca' print exposto por Moro

>> Veja como Moro usou recurso do WhatsApp para entregar arquivos de Bolsonaro à Polícia Federal

"Por fim, considerando que a imprensa, no exercício do seu legítimo e democrático papel de informar a sociedade, vem divulgando trechos isolados do depoimento prestado pelo Requerente [Sergio Moro], em data de 02 de maio de 2020, esta Defesa, com intuito de evitar interpretações dissociadas de todo o contexto das declarações e garantindo o direito constitucional de informação integral dos fatos relevantes – todos eles de interesse público – objeto do presente Inquérito, não se opõe à publicidade dos atos praticados nestes autos, inclusive no tocante ao teor integral do depoimento prestado pelo Requerente", diz a petição.

Moro presta depoimento à Polícia Federal, no último sábado (02)

O ex-ministro da Justiça prestou depoimento à Polícia Federal, em Curitiba, no último sábado (02), à chefe do Setor de Inquéritos Especiais do Supremo Tribunal Federal, Christiane Corrêa Machado, nas apurações sobre 'interferência política' do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na PF. A oitiva foi tomada por ordem do decano Celso de Mello, do STF. Moro prestou depoimento por oito horas.

O depoimento aconteceu porque, quando anunciou sua demissão, no dia 24 de abril, Moro acusou Bolsonaro de trocar o comando da PF para ter informações e relatórios sigilosos de investigações. "O presidente me disse que queria ter uma pessoa do contato pessoal dele, que ele pudesse colher informações, relatórios de inteligência, seja diretor, superintendente, e realmente não é o papel da Polícia Federal prestar esse tipo de informação. As investigações têm de ser preservadas. Imagina se na Lava Jato, um ministro ou então a presidente Dilma ou o ex-presidente (Lula) ficassem ligando para o superintendente em Curitiba para colher informações", disse Moro à época.

Confira a petição na íntegra

Comentários

Últimas notícias