Reunião ministerial

Para Salles, governo deveria aproveitar atenção da imprensa no coronavírus para ir "passando a boiada" no Ministério do Meio Ambiente

Ricardo Salles sugere que o governo aproveite a cobertura da imprensa focada no coronavírus para aprovar reformas infralegais

Larissa Lira
Larissa Lira
Publicado em 22/05/2020 às 19:00
Notícia
Foto: Agência Brasil
A fala foi dita na reunião ministerial divulgada nesta sexta-feira (22) - FOTO: Foto: Agência Brasil
Leitura:

Atualizada às 21h20

O ministro do Meio Ambiente do governo Bolsonaro, Ricardo Salles, durante a reunião ministerial, divulgada nesta sexta-feira (22) pelo ministro Celso de Mello, sugeriu que o governo deveria aproveitar a atenção da imprensa dada à pandemia do novo coronavírus para 'passar reformas infralegais de desregulamentação' e simplificar normas. 

>> Políticos repercutem vídeo da reunião ministerial com Moro e Bolsonaro

>> 'Por mim, botava esses vagabundos todos na cadeia. Começando no STF', diz Abraham Weintraub em reunião ministerial

>> General Heleno diz que apreensão do celular de Bolsonaro pode gerar "consequências imprevisíveis" para o País

"Precisa ter o esforço nosso aqui enquanto estamos nesse momento de tranquilidade no aspecto de cobertura de imprensa, porque só fala de covid, e ir passando a boiada, ir mudando todo o regramento e simplificando normas, de Iphan, de Ministério da Agricultura, Ministério do Meio Ambiente, ministério disso, ministério daquilo”, estimulou Salles. 

O ministro do Meio Ambiente diz ainda que seria difícil conseguir o apoio do Congresso Nacional para aprovar as mudanças neste momento, mas que muitas das reformas não precisariam do aval dos parlamentares. "Agora tem um monte de coisa que é só, parecer, caneta, parecer, caneta. Sem parecer também não tem caneta, porque dar uma canetada sem parecer é cana", defendeu.

Salles afirmou ainda que era necessário deixar o advogado-geral da União, na época André Luiz de Almeida Mendonça, de prontidão, para eventuais contestações do governo na Justiça.

Repercussão 

A fala gerou repercussão nas redes sociais. O senador Randolfe Rodrigues (Rede) publicou em seu Twitter que chega a ser nojenta a crueldade da fala de Salles. "Esse criminoso perverso quer se utilizar das mortes da pandemia p/ continuar seu projeto de destruição do Meio Ambiente [sic]", postou.

 


Outro que comentou sobre a fala na rede social foi youtuber Felipe Neto, dizendo que o ministro falou 'com todas as letras' para o presidente aproveitar a pandemia para fazer mudanças na legislação.  

 

A atriz Giovanna Ewbank e a candidata a vice-presidente da República na eleição de 2018, Manuela d'Ávila, também replicaram a fala. 

 

 

 Convocação

O deputado federal João Campos (PSB) entrou com um requerimento de convocação na Câmara dos Deputados para que Ricardo Salles preste esclarecimentos sobre as declarações dadas por ele na reunião. 

"A tentativa de usar a pandemia pra derrubar e alterar a legislação é uma atitude criminosa e antidemocrática. Esse governo quer acabar com o meio ambiente e deixa bem claras suas intenções", disse o socialista em seu Twitter.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias